Olá,

Todos os carros deverão ser equipados com um extintor mais completo (do tipo ABC) a partir de 1º de abril, mas muita gente ainda não sabe como utilizar o equipamento. Para que o item não represente apenas um cumprimento ao rigor da lei é preciso ficar atento às recomendações a serem seguidas na iminência de um incêndio.

Apesar do medo que as chamas possam causar ao motorista, a primeira atitude a ser tomada é manter a calma, segundo o especialista do Cesvi (Centro de Experimentação e Segurança Viária) Emerson Farias. A seguir, a orientação é estacionar o veículo em um local seguro – sempre sinalizando a parada com o triângulo – e retirar todos os ocupantes do carro.

Feito isso, o condutor deve pegar o extintor (geralmente localizado abaixo de um dos bancos dianteiros), retirar o lacre, mirar o foco do incêndio e disparar o produto. Os extintores mais completos são capazes de controlar chamas causadas por líquidos inflamáveis (gasolina ou diesel, por exemplo), e que atinjam equipamentos elétricos e materiais sólidos, como tapete, banco, painel, entre outros.

O especialista, porém, faz uma ressalva: “É importante ressaltar que o extintor serve para extinguir princípio de incêndio e, caso ele seja maior do que a capacidade do extintor, é preciso afastar-se do veículo e chamar o Corpo de Bombeiros”, adverte Farias, que diz ainda que a corporação deve ser acionada mesmo se as chamas forem controladas, a fim de confirmar se não há mais riscos, além de fornecer um relatório técnico sobre a ocorrência. O documento é necessário, caso o motorista deseje solicitar indenização junto à seguradora.

É preciso ainda ter cuidado em relação ao extintor. O artigo 5º da Resolução 154/2004 do Denatran lembra que o equipamento deve estar dentro do prazo de validade, ter o indicador de pressão na faixa verde, conter a marca de conformidade do Inmetro, lacre íntegro e não estar amassado ou com ferrugem.

POLÊMICA

As recomendações não surtem efeito sem que haja treinamento dos motoristas, na opinião da Proteste Associação de Consumidores. “(Ter que comprar o novo extintor) é um dinheiro jogado fora, já que a medida não obriga o dono do carro a passar por treinamento que o habilite a usar o extintor em casos de emergência”, defende a coordenadora institucional do órgão, Maria Inês Dolci.

A Proteste avalia ainda que a adesão ao modelo ABC “é uma tentativa do órgão de trânsito brasileiro de gerar gastos indevidos aos brasileiros”. O equipamento pode ser encontrado entre R$ 60 e R$ 100. O instituto lembra também que o País é um dos poucos a exigir o item, assim como Bélgica, Bulgária, Polônia e Romênia.

Já o Cesvi contraria a opinião da Proteste. “Todos os equipamentos de segurança previstos pelo CTB (Código de Trânsito Brasileiro) têm sua utilidade e o extintor veicular tem muita eficiência para os princípios de incêndio, e portanto, é extremamente importante o uso adequado deste equipamento.”

O instituto conclui lembrando que quem está com o extintor de incêndio sem plenas condições de uso, pode ser autuado e sujeito a multa de R$ 127,69, considerada infração grave, além de cinco pontos na carteira de motorista.

O Denatran corrobora com a opinião do Cesvi e afirma ainda que o uso do extintor é obrigatório desde 1968, seguindo perícia do Contran (Conselho Nacional de Trânsito), órgão responsável por estabelecer quais são os equipamentos de segurança obrigatórios nos veículos.

O WebMotors questionou o Denatran se existem projetos educacionais sobre a utilização do extintor, bem como a inclusão do tema nas aulas do CFCs (Centros de Formação de Condutores). O órgão não se posicionou até a conclusão da reportagem.

Dinheiro jogado fora…

Assisti alguns vídeos com teste com este novo extintor que é ruim e não apaga o fogo.

Fonte: Revista WebMotors