Olá,

Com 1,6 milhão de seguidores no Instagram, além de 223 mil no Youtube e 40 mil no Facebook, o terapeuta e escritor Tadashi Kadomoto, 61 anos, é uma celebridade da internet num nicho que reúne pessoas em busca de meditação e paz espiritual.

Quem é Tadashi Kadomoto, 'guru da meditação' que virou réu por estupros

Durante a pandemia, com todo mundo confinado em casa junto com seus estresses e preocupações, incluindo o medo de se contaminar ou morrer por causa do vírus, a fama dele cresceu, reunindo de forma comum até 50 mil pessoas numa simples live. Apesar disso, sua carreira, até a denúncia de estupros ser aceita pela Justiça paulista, é longa.

Segundo o site do Instituto Tadashi Kadomoto, criado por ele, o terapeuta começou a dar treinamentos na área comercial em 1982 e fundou a organização em 2001. Apesar de se auto intitular um terapeuta, Tadashi Kadomoto não é psicólogo. A formação que ele anuncia é em Programação neurolinguística (PNL), abordagem criada por Richard Bandler e John Grinder na Califórnia nos anos 1970. Em suas ‘pregações’, ele também cita preceitos do budismo, além de dizer que é pós-graduado em técnicas de hipnose, terapia de vidas passadas, técnicas xamânicas e física quântica.

Os temas centrais de suas palestras costumam ser equilíbrio emocional, resiliência, como cultivar a gratidão e formas de melhorar as relações com o próximo. Com a pandemia da covid-19, Kadomoto passou a oferecer também cursos online, não só no site, mas em plataformas de eventos virtuais. Ele também tem vários livros publicados pela Editora Gente, com títulos comuns ao mercado de autoajuda como ‘Da Razão ao Coração’, ‘Ninguém Tropeça em Montanha’e ‘O Mestre do Impossível – mude suas crenças e conquiste o seu futuro’.

Antes de se tornar réu, o terapeuta oferecia diariamente duas lives de treinamento mental, a primeira é sempre às 6h. Entretanto, depois que a GloboNews e o programa Fantástico, da Globo, divulgaram que ele se tornou réu em um processo que investiga múltiplos estupros, ele anunciou que vai paralisar os cursos. Numa gravação publicada em seu Instagram, o terapeuta também se defendeu das acusações, que classificou como injustas. 

Hoje que mais encontramos é coaching, terapeutas ocupacional, holístico etc e tal.

O ser humano é o animal que mais se deixa se enganar.

Fonte: Correio 24Horas