Olá,

De acordo com a publicação, as portas da empresa, em Santo André (SP), foram fechadas há pouco mais de um mês.  O motivo do encerramento da produção seria a falta de interesse dos filhos do criador da marca, o italiano Giulio Luigi Sofio, 77 anos, em continuar o negócio.

 Foto: Divulgação

Os últimos funcionários da empresa, que chegou a ter 200 empregados, produzir 600 toneladas de bala por mês e ter receita de cerca de R$ 15 milhões por mês, afirmaram ao jornal que a maior parte do maquinário já foi retirada. Um empresário carioca teria comprado a fórmula secreta do produto.

Sofio adquiriu a Bala Juquinha do português Carlos Maia, em 1982. Cozinheiras de Maia teriam desenvolvido a fórmula da bala e começaram a produção em tachos de cobre. O nome do produto é uma homenagem a Juca, um grande amido do português.

A Balas Juquinha Indústria e Comércio Ltda foi fundada em 1945, mas com a razão social Salvador Pescuma Russo & Cia Ltda. No início, dedicava-se apenas à fabricação de refresco em pó efervescente. Cinco anos depois, a empresa começou a fabricar balas mastigáveis.

O Terra tentou contato com a empresa, mas não obteve retorno.

O fim da Bala Juquinha repercutiu nas redes sociais, com muitos usuários lamentando. “Queria saber como vai ser minha vida daqui pra frente sem a Bala Juquinha”, chegou a postar uma usuária.

Bala Juquinha fez parte da minha infância e de vez em quando conseguia achar para comprar…

Lá vai embora meu legado… kkkk

Fonte: Terra