Olá,

E aí, você já conhecem a cantora e compositora Laura Pergolizzi?

LP passou anos escrevendo para artistas pop como Backstreet Boys, Christina Aguilera e Rihanna, para quem fez o megahit ‘Cheers’. Em 2015, emplacou ‘Lost on you‘ e firmou carreira própria.

A cantora nova-iorquina de família italiana Laura Pergolizzi, ou LP, é veterana nos bastidores indústria musical e ao mesmo tempo uma rebelde neste mercado. A artista que se identifica com o gênero não-binário (nem homem e nem mulher) estreou no Brasil no festival Lollapalooza, na sexta-feira (25/03/2022).

Alguns brasileiros podem conhecer sua voz e seu ukulele do hit indie-folk “Lost on you” (2015). Outros podem ainda não ter ouvido LP cantar. Mas é quase impossível nunca ter escutado uma música de sua autoria. Antes de se firmar como intérprete, LP foi compositora de artistas pop.

Entre as músicas estão “Cheers (drink to that)” (2011), um dos maiores sucessos de Rihanna, “Love Will Keep You Up All Night” (2007), dos Backstreet Boys, “Beautiful People” (2010), de Christina Aguilera, “Shine Ya Light” (2012), de Rita Ora, “Pride” (2013), de Cher, e “Change My Mind” (2019), de Céline Dion.

Aos 40 anos, LP tem um jeito de adolescente que ainda acredita em um bom refrão de rock. Ela é uma promessa nos bastidores desde 2001, quando lançou o álbum independente de estreia “Heart-Shaped Scar”.

LP foi acumulando elogios e parceiros poderosos, como a produtora Linda Perry. Em 2006, foi até alvo de uma batalha de gravadoras por um contrato com ela após um show no festival South by Southwest. Mas foi brigando com os executivos que queriam dirigir seu trabalho.

LP — Foto: Divulgação / Instagram oficial da artista

LP — Foto: Divulgação / Instagram oficial da artista

“Acho que eu estou no meu oitavo contrato, não tenho certeza”, diz LP, tentando repassar quantas tretas com executivos da indústria musical já teve. “São idiotas que ficam atrás de uma mesa assistindo pornografia enquanto arruinam sua vida. Mas tudo bem, você tem que seguir”, ela diz.

Em 2009 ela começou a escrever para outros artistas, se deu bem neste trabalho anônimo e com menos embate. As composições emplacaram e ela começou a ser requisitada. Só que esse não era o plano de LP, mesmo que rendesse grana e tranquilidade.

“Olha para mim, Rodrigo. Eu pareço alguém que quer ter uma vida tranquila?”, brinca LP. “Eu escrevi essas músicas por dois anos e depois fui fazer minhas coisas porque eu gosto de contar as minhas histórias e fazer uma música que seja pessoal”.

Ela voltou a focar no projeto da própria carreira – sem deixar de brigar com gravadoras. Em 2015, ela finalmente conseguiu estourar o hit “Lost on you”, que lhe deu estabilidade para deixar de escrever para os outros e aumentar o próprio fã-clube.

A música ainda reforçou uma marca de LP: o ukulele. Ela usa o instrumento havaiano tentando fugir do clichê do “fofolk”. “É um instrumento muito profundo, mesmo que não pareça”, defende. “Ele não tem que ser fofo. Além do mais, tem um contraste interessante com minha voz”, explica.

As músicas mais conhecidas que ela escreveu, “Cheers” e “Lost on you”, falam sobre brindes. A composição encomendada é festeira, enquanto a segunda é melancólica (“vamos levantar um copo ou dois / para as coisas que perdi em você”, ela reflete). O que significa esse tema repetido, LP?

“Nâo sei. Em ‘Cheers’ não é algo pessoal. E acho que esse é o verso mais fraco de ‘Lost on you’. Acho que significa que somos todos um bando de bêbados…”, conclui.

Já sou fã e você?

Lyllyan

Fonte: G1