Olá,

Falecido em 2009, o cantor Michael Jackson era descrito por muitos colegas músicos como dono de uma personalidade peculiar, para dizer o mínimo. O guitarrista do Toto, Steve Lukayher, que trabalhou com o artista no álbum “Thriller” (1982), disse que não percebeu (quase) nada de estranho no Rei do Pop.

Em entrevista ao podcast de Jeremy White, transcrita pelo Ultimate Guitar, Lukather revelou que a única coisa bizarra que viu ao gravar com Michael foi Bubbles, o macaco de estimação do cantor. Ele também relembrou de seu primeiro encontro com o artista, em uma situação de muita pressão.

“Não vi nada estranho exceto por Bubbles, cara. Aquilo era meio estranho. Porém, a primeira vez que estive com Michael foi no dueto com Paul McCartney (‘The Girls Is Mine’). Eu estava com a mente f*dida por conhecer Paul McCartney, pois os Beatles são a razão pela qual eu toco música. Ele e Linda (falecida esposa de Paul) são incríveis”, afirmou.

O músico revelou, inclusive, qual foi a primeira música que ele tocou com os artistas. “Paul chegou, começamos a tocar ‘I Was Made To Love Her’, a música de Stevie Wonder, e aquilo criou a energia das sessões de gravação. Paul deu uma chance a mim e a Jeff (Porcaro, baterista do Toto) e nos contratou para estar no filme dele. Foi um dos melhores dias de todos”, disse.

Lukather revelou que o produtor Quincy Jones, que trabalhava com Michael Jackson, estava presente naquelas sessões. “Eu gravava todas as produções do Quincy na época. Alguns dos caras no Toto gravaram ‘Off the Wall’ (1979), o álbum anterior de Michael. Acho que foram (os tecladistas) David (Paich) e Steve (Porcaro). Ainda sou amigo de Quincy”, declarou.

A entrevista pode ser conferida na íntegra, em inglês e sem legendas, no player a seguir.

Diante de tantos acontecimentos, Michael Jackson era a pessoa mais normal desta face da terra.

Lyllyan

Fonte: Whiplash