Olá,

Como você pode acompanhar aqui no ESTRELANDO, o documentário ‘Leaving Neverland’ trouxe novos detalhes sobre os supostos abusos sexuais cometidos por Michael Jackson e chegou a ganhar o Emmy.

James Safechuck está presente no documentário Leaving Nerveland

Agora, James Safechuck, um dos acusadores do documentário sobre Michael Jackson, da HBO, sofreu uma grande derrota no tribunal. Segundo o TMZ,  juiz decidiu arquivar o processo revivido sobre o suposto abuso sofrido por James.

O processo de Safechuck, aberto em 2014, contra as empresas de Michael Jackson, MJJ Productions e MJJ Ventures Inc., foi trazido à tona pelo estado da Califórnia no início deste ano, quando o governador Gavin Newson assinou uma lei estendendo o prazo de prescrição para as supostas vítimas.

Segundo o site, o juiz não estava comprando a versão de Safechuck, e conclui que se Michael Jackson era o proprietário e único acionista de ambas as empresas, como seus funcionários poderiam controlar o próprio patrão?

O tribunal concluiu que, como Michael era essencialmente o chefe, não havia evidências de que seus subordinados tivessem poder de supervisioná-lo. Safechcuk também argumentou e afirmou que enquanto ele estava com Michael, as empresas desempenhavam um papel quase paternal, o que significaria que teriam o dever de protegê-lo.

Por fim, o juiz afirmou que James não tinha provas o suficiente. O advogado de defesa de Safechuck, Vince Finaldi, afirmou ao TMZ:

– O jovem James Safechuck era empregado desta empresa e se divertia com Michael Jackson. A noção de que esta empresa e seus funcionários não teriam o dever de protegê-lo e mantê-lo seguro é ridícula. Sua decisão vira a lei da Califórnia de pernas para o ar. Estamos voltando ao tribunal e vamos ganhar isso.

Que ótima notícia. Perdeu!!!!

Lyllyan

Fonte: MSN