Olá,

Jermaine Jackson disse que não há “verdade” para as alegações em um novo documentário controverso sobre seu irmão Michael Jackson.

Jermaine Jackson

Em ‘Leaving Neverland’, James Safechuck e Wade Robson afirmam que eles foram abusados ​​pelo cantor quando crianças.

Robson atuou como uma testemunha principal de Michael Jackson em seu julgamento de 2005, mas agora mudou sua história.

Jermaine disse ao Good Morning Britain da ITV: “Michael foi julgado por um júri de seus pares e foi absolvido”.

Ele acrescentou: “Não havia nenhuma evidência real, não havia nada lá e vou dizer isso – nossa família está cansada”.

O documentário de quatro horas estreou no Festival de Sundance na semana passada e foi visto como tão chocante que o público recebeu apoio emocional no intervalo.

O Robson e o Safechuck tinham sete e dez anos quando o cantor fez amizade com eles e suas famílias.

O Robson disse sob juramento em 2005 que a estrela pop nunca abusou dele, mas agora remonta a isso.

O espólio de Michael Jackson já havia condenado o filme, dizendo que é “uma tentativa ultrajante e patética de explorar e lucrar” com o cantor, que morreu em 2009 aos 50 anos.

O diretor do filme, Dan Reed, defendeu o documentário, dizendo acreditar no que os homens estavam alegando no filme.

“Nem Wade, James ou qualquer membro de suas famílias foram pagos pela participação no filme, direta ou indiretamente”. disse ele à Rolling Stone.

“Esta não é uma história sobre Michael Jackson. É uma história sobre abuso sexual infantil que aconteceu com duas famílias cujas vidas se cruzaram com Michael Jackson. O fato do agressor ser Michael Jackson dá ao filme um alcance e uma relevância que eu saúdo.”

‘Deixe este homem descansar’

Jermaine Jackson manteve a inocência de Michael durante sua entrevista na quarta-feira, 30/01/19.

“Havia festas de pijama, havia garotas lá com seus pais assistindo filmes e comendo biscoitos…”

“Deixe este homem descansar. Ele fez muito pelo mundo, deixe-o descansar. Eu apenas direi isto, não há verdade neste documentário…”

“Estamos vivendo em um tempo em que as pessoas podem dizer qualquer coisa e é verdade.”

“Sob juramento, ele (o sr. Robson) disse o que disse, eles prefeririam acreditar em um documentário a olhar para o que foi dito sob juramento, sob um juiz, um júri, tudo”.

Chego a conclusão que a palavra “paz” não existe nem em vida e nem após a morte.

Que encheção de saco tudo isto!

Lyllyan

Fonte: BBC.com