Olá,

Considerado pela “Time”, em 2012, uma das 100 pessoas mais influentes do mundo, e condecorado com uma metalha da Ordem do Império Britânico pela sua contribuição para as artes, Harvey Weinsten, de 65 anos, é produtor de cinema e magnata de Hollywood. Ele cofundou a Miramax em 1979, estúdio que produziu e distribuiu filmes independentes aclamados, como “Pulp fiction”, de Quentin Tarantino”, “Sexo, mentiras e videotape”, de Steven Soderbergh, e “O balconista”, de Kevin Smith. Em 2005, ao lado do irmão caçula, Bob, fundou The Weinstein Company.

Resultado de imagem para Harvey Weinstein

Um dos maiores produtores de Hollywood, Harvey Weinstein está sendo acusado por !décadas” de assédio sexual. A atriz Ashley Judd, de “Divergente”, é uma das que veio a público relatar os abusos sofridos. Segundo o jornal “The New York Times”, o produtor teria feito pelo menos oito acordos judiciais com vítimas. Após a publicação da reportagem, Weinstein anunciou que vai tirar uma licença “para lidar com essa questão de frente”.

Harvey é considerado o criador da estratégia moderna de divulgação de filmes — pela qual sempre recebeu muitas críticas. Ele, que emplacou “O artista”, um filme mudo, em preto e branco e com um protagonista desconhecido, como melhor filme no Oscar, costumava abusar dos presentes aos jurados da Academia e das festas promocionais dos filmes depois que eram indicados, o que levou a uma mudança nas regras da premiação.

SUCESSO COM SODERBERGH

Em seu currículo, Harvey tem um Oscar pela produção de “Shakespeare apaixonado” (1998). Mas, além do reconhecimento no cinema, é dono de sete Tony Awards por musicais e peças aclamadas na Broadway como “Billy Elliot”.

‘’A tênue linha da morte’, ‘Sexo, mentiras e videotape’, ‘Traídos pelo desejo’ e ‘Pulp Fiction’ foram os primeiros sucessos da Miramax.

O começo da carreira, aliás, foi na produção de shows de rock, em Nova York, na década de 1970. Foi com os lucros dos shows que Harvey e Bob criaram a Miramax, batizada em homenagem aos pais, Miriam e Max.

No começo, a Miramax lançava basicamente filmes sobre música. Lentamente, foram construindo sua marca, com a produção de filmes independentes elogiados pela crítica, embora não tivessem tanto público.

O lançamento do documentário “A tênue linha da morte”, de Errol Morris, em 1988, que resultou no inocentamento de Randall Adams, um homem erroneamente condenado à morte, aumentou a credibilidade do estúdio.

O primeiro grande sucesso comercial veio com “Sexo, mentiras e videotapes”, de Soderbergh, em 1989. Em 1993, após “Traídos pelo desejo”, de Neil Jordan, a Miramax foi comprada pela Disney por US$ 80 milhões. No ano seguinte, a produtora lançaria “Pulp fiction”, de Tarantino. O primeiro Oscar veio em 1997, por “O paciente inglês”. Os Weinstein são considerados os responsáveis por abrir o mercado americano para filmes independentes.

Em 2005, os irmãos Weinstein deixaram a Miramax e deram início à Weinstein Co., levando nomes como Quentin Tarantino e Robert Rodriguez com eles.

APOIO A POLANSKI

Durante esse tempo, o temperamento de Harvey tem sido descrito como “cruel”, além de ele ser dado a ataques de raiva contra outros produtores e diretores. Em 2004, uma reportagem da “New York Magazine” acusou o produtor de infernizar o diretor Sydney Pollack “em seu leito de morte” e a viúva de Anthony Minghella, produtores de “O leitor”, com Ralph Fiennes e Kate Winslet.

Na época, Harvey ofereceu US$ 1 milhão para a caridade caso a acusação fosse provada, até que uma repórter publicou um e-mail enviado por Scott Rudin, outro produtor do longa, confirmando o comportamento de Harvey, que teria importunado os colegas até que a família de Pollack pedisse para que ele parasse.

Harvey também se posicionou publicamente contra a extradição de Roman Polanski, acusado de estupro de uma garota de 13 anos nos anos 1970, para os Estados Unidos. Weinstein é distribuidor de um documentário que questiona se o diretor franco-polonês havia de fato cometido um crime.

Eleitor do partido democrata, Harvey apoia diversas causas como o combate à pobreza, além de pesquisas pela cura da Aids, a diabete juvenil e a esclerose múltipla. Ele também se coloca a favor do controle da venda de armas nos Estados Unidos.

Ainda bem a mulherada criou coragem para denunciar este cara nojo, estuprador de luxo, lixo de ser humano.

Fonte: O Globo