Olá,

A americana Heather Heyer, de 32 anos, foi a única vítima fatal da violência que tomou conta das tumultuadas manifestações em Charlottesville (Virginia), nos EUA, no fim de semana, que ganharam manchetes do mundo inteiro.

Heather Heyer morreu atropelada por um veículo enquanto protestava contra a marcha de supremacistas brancos em Charlottesville, nos EUA (Foto: Heather Heyer via Facebook/ Reuters )

Na sexta-feira, 11/085/17, centenas de homens e mulheres carregando tochas, fazendo saudações nazistas e gritando palavras de ordem contra negros, imigrantes, homossexuais e judeus seguiram pelas ruas da cidade de pouco mais de 50 mil habitantes.

No sábado (12), encorpado por mais membros de organizações de extrema-direita do país, o grupo voltou às ruas da cidade, onde se deparou com manifestações contrárias.

Acompanhada de colegas de trabalho, Heyer, que morava em Charlottesville, foi ao protesto contra o evento dos grupos de extrema-direita.

A assistente jurídica, nascida no Estado de Virgínia, era ativista de direitos civis. Ela morreu depois de ser atropelada por um carro que avançou contra a multidão que participava do protesto.

Tributos a Heather no local do incidente (Foto: Reuters/Justin Ide)

Tributos a Heather no local do incidente (Foto: Reuters/Justin Ide)

Autoridades locais afirmaram em um comunicado que “nunca” poderão “compensar a morte de um membro na comunidade” e que “este ato de violência insensível abre um vazio” em seus corações.

Horas após o incidente,  o jovem branco de 20 anos chamado James Alex Field  foi preso e acusado de homicídio doloso (com intenção de matar), segundo a polícia. A colisão deixou pelo menos outros 19 feridos.

Veículo amassado após atropelar Heyer e outros manifestantes (Foto: Win McNamee/Getty Images North America/AFP)

Veículo amassado após atropelar Heyer e outros manifestantes (Foto: Win McNamee/Getty Images North America/AFP)

‘Heather queria deter o ódio’

A morte de Heyer causou comoção nacional e de milhares de pessoas ao redor do mundo.

Sua mãe, Susan Bro, disse ao site HuffPost que sua filha fora protestar contra a marcha supremacista porque “queria por um fim à injustiça”. “Heather era contra o ódio, Heather queria detê-lo”, declarou.

“Ela sempre teve um forte senso de certo e errado. Ela sempre, mesmo quando criança, era levada pelo que acreditava ser justo”, disse ainda.

Sobre o jovem responsável pelo ataque, Bro ainda comentou ao site: “Ele era muito jovem, eu lamento que ele acredite que o ódio poderia resolver os problemas. O ódio só traz mais ódio”.

James Alex Fields, de 20 anos, foi detido e acusado de homicídio (Foto: Albemarle-Charlottesville Regional Jail via AP)

James Alex Fields, de 20 anos, foi detido e acusado de homicídio (Foto: Albemarle-Charlottesville Regional Jail via AP)

Fonte: G1