Renan Calheiros ignora decisão que anulou impeachment e dá continuidade a processo


Olá,

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), decidiu ignorar a decisão do presidente em exercício da Câmara, o deputado Waldir Maranhão (PP-MA), de anular a sessão que autorizou a continuidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Renan Calheiros considerou a medida de Maranhão

Em sessão plenária no Senado na tarde desta segunda-feira (9), Renan considerou a medida de Maranhão “ilegal” e “absolutamente intempestiva”.

“Nenhuma decisão monocrática pode se sobrepor a uma decisão colegiada. A decisão [sobre a continuidade do impeachment] foi tomada pelo conjunto dos deputados no plenário daquela Casa”, afirmou Renan – aplaudido pelos senadores da oposição ao governo.

O presidente do Senado também rechaçou o argumento de que a comunicação sobre a votação do impeachment na Câmara ao Senado não foi realizada da maneira correta, como alegou Maranhão. “A comunicação é etapa posterior ao ato já concluído. Não poderia tornar nulo o ato prévio”, alegou o senador.

Após comunicar que “deixaria de reconhecer” a decisão do presidente interino da Câmara, Renan pediu o início da leitura do parecer formulado pelo senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), relator do pedido de impeachment na Comissão Especial do Impeachment no Senado.

Mais cedo, Renan recebeu senadores na residencia oficial do Senado em uma reunião de emergência.

Segundo o senador Randolfo Rodrigues (Rede-AP), durante a reunião de líderes, alguns senadores sugeriram que o presidente do Senado aguardasse um posicionamento do Supremo Tribunal Federal (STF). “Entretanto, ele acha que não devemos judicializar ainda mais essa questão. Está na hora de ação política e de tomar uma decisão”, acrescentou o senador do Amapá.

Antes de anunciar sua decisão aos líderes, Renan se reuniu, na residência oficial com lideranças do PT, do PCdoB e da oposição para discutir a decisão do presidente da Câmara.

A leitura do parecer no plenário da Casa abrirá prazo de 48 horas para a sessão de votação do relatório. Se ele for aprovado, a presidente Dilma será imeadiatamente afastada do cargo pelo período de 180 dias.

Como escreveu em seu Twitter o ex-ministro do STF, Joaquim Barbosa, o Brasil é uma laughing stock, ou seja, uma chacota.

Fonte: Agência do Brasil , Money , UOL & IG

Anúncios
  1. uia isso Ly kkkkkk rachei. rindo até a sentença do veredito. Kkkkk

  2. Vergonha de ser brasileira. Não carrego nenhuma bandeira. Na minha opnião ? O Brasil nunca será uma grande nação.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: