Viajar com animais: Tudo sobre como levar seu cachorro ou gato em viagens de avião


Olá,

Uma das principais dificuldades para quem tem bicho de estimação e ama viajar é a preocupação de como viajar com animais e levar o seu cachorro ou gato em segurança nas viagens de avião. Além do cuidado na escolha da companhia aérea para tratar o animal da melhor forma, ainda existem várias questões burocráticas e de saúde às quais é preciso atentar antes de levar seu companheirinho de quatro patas nas aventuras junto com você.

Viajar com animais: Tudo sobre como levar seu cachorro ou gato em viagens de avião

Pensando em todos esses cuidados necessários, decidimos fazer um post para reunir todas as informações que você precisa para viajar com animais no avião. Para isso, contamos com a consultoria da médica veterinária Andressa Felisbino, da  Dragavet , uma rede brasileira de farmácias de manipulação veterinária. Confira as dicas!

A escolha da melhor companhia aérea para viajar com animais

O primeiro passo para viajar com animais é verificar se a companhia aérea em que você pretende viajar aceita o animal no voo. Na pesquisa, vale conferir as regras de cada uma das empresas, já que a documentação necessária varia de acordo com a companhia e com as escalas dos voos.

No entanto, antes de fechar com qualquer companhia, faça uma busca na internet para saber a opinião de usuários que já levaram viajaram com seus animais com ela antes. Ficamos sabendo de barbaridades que algumas companhias aéreas fazem com os bichinhos, por isso sempre é bom verificar. Um bom site para isso é o Reclame Aqui, onde os clientes postam reclamações sobre as empresas e recebem respostas delas. Desta forma você já terá um bom parâmetro para escolher a empresa ideal para viajar com animais.

Uma dica importante da veterinária é procurar companhias que já estejam habituadas ao transporte de animais, assim a equipe estará mais preparada e poderá instruir melhor o dono sobre as regras de voo para os bichos de estimação. Ah, e quanto menos conexões e tempo de voo, melhor, menos estresse para o animal.

Documentos e vacina necessários para viajar com animais

Para os voos nacionais, as empresas exigem dois documentos:

Atestado Sanitário

Deve ser prescrito por um médico veterinário inscrito no Conselho Regional de Medicina Veterinária. O ideal é pedir para o profissional que já cuida do seu bicho e, por isso, conhece bem como anda a saúde dele. Caso ele tenha qualquer doença, não receberá o atestado para viajar, devendo ser tratado anteriormente.

Certificado de Vacinação Antirrábica

A vacina deve ter sido aplicada pelo menos 30 dias antes da viagem, e os animais devem ter mais de quatro meses de idade.

Para voos internacionais, você também vai precisar do:

Certificado Zoosanitário Internacional (CZI)

Documento emitido pelo Ministério da Agricultura nos aeroportos internacionais. Para isso, o dono do animal deve agendar, por telefone ou pessoalmente, uma consulta com o veterinário do aeroporto internacional.

Para solicitar a emissão do CZI, é preciso que todos os documentos estejam válidos e o Atestado Sanitário tenha sido emitido por um médico veterinário três dias antes. O CZI costuma ter validade de 10 dias, mas o prazo varia de acordo com o país de destino. Por isso, o dono deve pedir o modelo do certificado acordado entre o Brasil e o país para onde está indo, e caso não haja, apresentar os requisitos sanitários do país de destino à Vigilância Agropecuária Internacional. Assim, o Departamento de Saúde Animal (DSA) pode verificar a possibilidade de atestar as exigências sanitárias do país que receberá o bicho e fazer um modelo de CZI específico para esse país.

*Lembrando que o CZI é necessário para qualquer tipo de viagem internacional, mesmo rodoviária ou marítima. Você pode ler mais sobre esse documento aqui.

Caixa de transporte para cães e gatos: a escolha correta

caixa de transporte animal para gatos

Resolvidas as questões sobre a documentação necessária para levar o seu cachorro ou gato no voo, chega a hora de se preocupar com o conforto do bicho durante a viagem. E para isso, escolher a caixa de transporte mais adequada para cada espécie e raça é essencial.

De acordo com a médica veterinária Andressa Felisbino, a caixa de transporte deve ser feita de um material resistente e ter estrutura e dimensão adequada ao tamanho do animal. Ela lembra, ainda, que existem várias exigências em relação à equipagem, peso e dimensão dessas caixas, e quase todas as empresas aéreas exigem que sejam seguidas as determinações de padrão internacional indicadas pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA).

De preferência, é solicitado que a caixa de transporte seja pequena, de modo que caiba sob o assento do avião e, assim, o animal possa ir junto com o dono no voo. No entanto, é fundamental que haja um compartimento fixo para água e ração e espaço suficiente para movimentação. Mas se a caixa for grande e ultrapassar os limites da cabine, o bichinho viajará em um compartimento reservado para animais.

Além de escolher a caixa de transporte correta, o dono deve se certificar de que o local onde o animal irá viajar é fresco e arejado.

O meu cachorro pode ir comigo no avião?

Essa é a principal dúvida de quem quer levar seu animal no voo. E a resposta é:

Depende do tamanho do cachorro ou gato

Para viajar com animais, normalmente as empresas levam em consideração a sua raça e o peso. Geralmente, os animais de até sete quilos podem ir junto com o dono da cabine, desde que sempre na caixa de transporte e embaixo do assento, onde devem permanecer durante toda a viagem.

Com exceção de cães-guias, que sempre viajam junto com seus donos, animais maiores costumam ser transportados no mesmo compartimento das malas pela maioria das empresas. Nesses casos são cobradas taxas adicionais se o peso dos bichos exceder o limite estipulado. Por causa disso, a Dra. Andressa recomenda entrar em contato com a empresa para confirmar a disponibilidade de transporte no voo escolhido, uma vez que existe um limite no número de animais por voo. “Recomendo primeiro reservar o lugar do seu bichinho e, logo em seguida, comprar as passagens da família, para evitar problemas”, diz a médica veterinária.

Tipos de animais que podem viajar de avião

A maioria das companhias aéreas têm restrições em relação a transportar animais braquicefálicos, ou seja, aqueles que têm o focinho curto, como bulldogs, pugs e gatos persas, entre outros. Esses bichos são muito fofos, mas possuem dificuldade em manter a temperatura corporal, principalmente por sua respiração ser mais restrita, o que faz com que precisem de caixas maiores para uma melhor circulação de ar.

E se sua cachorra ou gata está grávida, nem adianta tentar viajar: animais gestantes não são aceitos em voos. Essa mesma regra vale para os filhotes com vacinas não completas. E no caso de viajar com animais idosos ou com problemas cardíacos, a viagem de avião não é aconselhável, devido ao alto nível de estresse que o voo provoca.

É possível preparar meu cão ou gato para uma viagem mais tranquila?

Para garantir que a viagem seja o menos sofrida possível para o bicho, Dra. Andressa recomenda fazer com que ele se habitue à caixa de transporte alguns dias antes da viagem. Para isso, uma boa dica é colocar a comida e o pote de água dentro da caixa, para que o animal se sinta mais confortável em entrar, sair e se mexer dentro dela.

Na hora do voo, o ideal é que o animal esteja em jejum alimentar há pelo menos seis horas (tadinhooo!), para evitar problemas com vômito durante a viagem. Aqueles muito ansiosos podem receber um sedativo ou tranquilizante via oral, mas só se tiver sido prescrito pelo veterinário. O ideal, na verdade, é não dar nenhum tipo de medicação, pois se o bicho for no compartimento de bagagens, ficará sozinho e sem nenhum tipo de monitoramento. E aí, caso ocorra alguma reação ao remédio, o dono só saberá após o avião pousar.

Sobre viajar com animais na cabine de passageiros, é importante para o cachorro ou gato ouvir a voz do dono de vez em quando, para se sentir mais tranquilo e saber que tem alguém conhecido por perto.

Cuidados e requisitos do lugar aonde se vai

Além dos cuidados para o voo em si, é muito importante conferir as regras para entrada de animais no país de destino. Para cães e gatos viajarem pela União Europeia, por exemplo, eles devem ter implantado um microchip eletrônico (e outros requisitos que você pode ver aqui), e alguns países da região ainda têm condições sanitárias adicionais, como é o caso da Irlanda, Suécia e os países do Reino Unido (você pode ver as condições especiais aqui).

Para saber sobre essas condições especiais, você pode acessar o site da Associação Internacional de Transportes Aéreos .

Com este post ficou mais fácil viajar com seu pet por avião.

Fonte: Viajadora

Anúncios
    • Carla Silva
    • 13 de julho de 2016

    Olá!
    Vou me mudar para os EUA e vou levar minhas duas gatas. Estou com a maior dúvida de qual caixa de transporte devo levar. Vocês podem me indicar alguma marca específica?
    Obrigada!

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: