Olá,

Para o cão Louis Vuitton, todo dia é uma celebração da vida: esse pit bull resgatado esteve no inferno – mas hoje ele não tem nada menos que o amor de sua família e amigos.

Foto: Dee Hartley

Em 2007, Louis esteve quase morto quando o filho de seu tutor bateu nele de forma brutal e e lhe ateou fogo, em um caso que chocou a cidade de Montgomery, no Alabama (EUA), e ocupou os noticiários por todo o país. Os resgatadores pensaram que ele estava ferido demais para sobreviver, e então planejaram induzi-lo à morte. As informações são do The Dodo.

Foto: Dee Hartley

Foto: Dee Hartley

 Porém Louis se agarrou à vida, e mesmo que estivesse em um tremendo sofrimento, ele não conseguia parar de balançar a sua cauda e tentar lamber os veterinários. Então, eles decidiram fazer de tudo para salvá-lo.

Durante meses, Louis foi um paciente do Hospital Golden Animal em Montgomery. O abuso deixou-o com queimaduras em mais de 70 por cento de seu corpo, e ele precisou passar por 33 cirurgias. Mas Louis logo se tornou o favorito da equipe, e os seus resgatadores trabalhavam por horas além do expediente apenas para passar mais tempo com ele.

Foto: Dee Hartley

Foto: Dee Hartley

A grande fã de animais e protetora Dee Hartley ouviu falar de Louis pela primeira vez enquanto ele estava se recuperando no hospital. Após ter visto a sua história nos noticiários e ouvir sobre ele através de seus amigos em um abrigo local, ela disse ao seu marido que não conseguia tirar Louis do seu pensamento.

“Eu falei para ele, ‘eu realmente quero conhecer esse cão’ “, disse Hartley ao The Dodo. “Há algo sobre ele que de fato toca o meu coração”. No entanto, William insistiu que eles já tinham uma casa cheia com seus outros cães resgatados, e não precisavam de mais um.

Foto: Dee Hartley

Foto: Dee Hartley

Sem contar para William, Dee foi visitar Louis no hospital. Ela sentiu uma conexão instantânea. “Ele estava em uma condição terrível, terrível”, relata Hartley. “Eu passei cerca de uma hora com ele”.

Quando Hartley foi para casa após ter se encontrado com Louis, ela estava “nas nuvens”. Ela tinha que falar ao seu marido a respeito dele. O que ela não sabia era que William também havia ido visitar Louis em segredo. Eles estavam ambos apaixonados pelo doce pit bull.

Os Hartley começaram a visitar Louis todos os dias em seus horários de almoço, levando-lhe petiscos e o ajudando a abrir os presentes que inundavam o seu quarto, vindos de apoiadores de todo o país.

Foto: Dee Hartley

Foto: Dee Hartley

Louis não poderia ser oficialmente adotado até que fosse concluído o julgamento de seu abusador, mas os Hartley se tornaram a sua família temporária assim que ele deixou o hospital. Ele já fazia parte da família em seus corações.

Em janeiro de 2009, o infrator que quase matou Louis, Juan Daniels, foi condenado a nove anos e seis meses de prisão por crueldade animal – marcando um novo recorde estadual de sentença para um caso de abuso a animais.

Sendo assim, os Hartley puderam finalmente adotar Louis, e com muita felicidade tornaram isso oficial – Louis até mesmo assinou os documentos com um carimbo de sua pata. Embora ele ainda traga as cicatrizes de seu horrível sofrimento, Louis agora serve como uma inspiração a todos que o encontram.

Foto: Dee Hartley

Foto: Dee Hartley

“Ele é maravilhoso, e nós nos sentimos muito abençoados por podermos aproveitar o seu caso para fazer com que abrigos e resgatadores tragam isso à tona”, disse Hartley ao The Dodo, explicando que o exemplo de Louis vem provar que esses cães resgatados de situações muito sofridas não são casos perdidos, não importa o quão difícil tenha sido o seu passado e quais sejam as sequelas que ficaram em seus corpos após as agressões. Eles são cheios de amor, e simplesmente renascem e transbordam gratidão ao se sentirem também amados.

Foto: Dee Hartley

Foto: Dee Hartley

Neste outono, Louis comemora o seu 13º aniversário, um grande marco para um cão que esteve tão perto da morte há oito anos atrás.

Foto: Dee Hartley

Foto: Dee Hartley

Para celebrar a vida de Louis, os Hartley decidiram fazer uma grande festa de aniversário – com todos os rendimentos destinados à Humane Society do condado de Elmore.

Foto: Dee Hartley

Foto: Dee Hartley

No próximo inverno, Louis terá a honra de servir como garoto propaganda para a campanha “I’m Not a Monster”, que ajuda a espalhar a conscientização sobre cães da raça pit bull e a discriminação sofrida por eles.

“Louis tem tudo a ver com ser o centro das atenções”, disse Hartley. “Tudo era Louis e, ainda hoje, tudo é Louis”.

Foto: Dee Hartley

Foto: Dee Hartley

Muita crueldade! Me emocionei!

Fonte: ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais com o link.