Olá,

TJ Jackson diz sobre ser o guardião dos filhos de Michael Jackson.

“Ser pai é difícil, ser padrasto é mais difícil, e ser um guardião é mais difícil ainda.

Como co-guardião de Paris, Prince e Blanket, estou sempre no modo de proteção.

Tem gente só esperando para ganhar acesso à eles. É complicado, porque Prince tem 18 anos e Paris, 17 – e eles podem pensar que eles não precisam de segurança. Prince poderia dizer: “Eu tenho 18!” – Mas ele é sempre respeitoso e compreensivo sobre o que a minha avó e eu queremos. Ele sabe que a gente faz tudo pelo bem dele.

As crianças [com guardiões] podem passar por fases em que eles dizem ou pensam, “Você não é meu pai,” mas eu nunca quis correr esse risco com o Prince ou Paris.

Quando meu tio Michael faleceu, Prince tinha 11 ou 12 anos, e ele já tinha uma sólida imagem minha como primo dele, então eu não podia simplesmente aparecer como um pai. Por isso, tomei a abordagem de “irmão mais velho”, em vez da imagem de um pai autoritário. Se eu fosse em uma reunião de pais e professores na Buckley para Prince ou Paris, era mais do ponto de vista “Eu estou orgulhoso de você”. […]

É engraçado – Michael costumava nos levar a Toys R Us com a loja fechada. Eles abriam para nós, e ele nos diria para pegar um carrinho e encher com tudo o que queríamos! Até apareceu nos jornais no Japão uma vez por termos gastados US 25.000. Mas Michael não fazia isso com seus próprios filhos – ele dava o limite de três para cada um deles.

Eu me esforço, da mesma forma que Michael: Querendo dar aos meus filhos tudo, mas também querendo que eles sejam normais.”

Está fazendo o papel dele.

Lyllyan

Fonte: Yahoo & BlogPPBJackson