Olá,

Prática comum entre as mulheres, compartilhar o batom com outra pessoa pode ser perigoso. Isso porque, ao ser emprestado, o batom leva com ele fungos, vírus e bactérias da pessoa que o utilizou da última vez para a outra, o que pode resultar na transmissão de doenças infecto-contagiosas.

De acordo com o médico infectologista Vinícius Paulino da Costa, quando um batom é emprestado, qualquer agente infeccioso pode ser transmitido de uma pessoa para a outra por meio da saliva deixada no produto. Entre as doenças causadas por esses agentes estão as infecções bacterianas, como a candidíase – conhecida como “sapinho” – e a herpes labial, mononucleose e gengivites.

Segundo Costa, entre as doenças que podem ser causadas pela prática, há algumas que são mais temidas. “São as infecções causadas pelo vírus herpes, já que não há cura, e as infecções fúngicas de difícil tratamento”, disse.

No caso de locais que oferecem serviços que usam o batom de forma compartilhada, como em salões de beleza, o infectologista afirma que a melhor opção é que os profissionais usem produtos descartáveis ou individuais.

Saiba como higienizar o batom e evitar doenças

Batom em massa (em bastão): deve ser higienizado todas as vezes em que for utilizado com o auxílio de um papel toalha, retirando-se a camada que fica por cima e nas laterais

Gloss: o pincel utilizado para aplicação deve ser higienizado com papel toalha, lavado com xampú sem sal e condicionador. Em seguida, deve secar naturalmente.

Batons de paletas (em potinhos): deve-se remover a primeira camada do produto com papel toalha antes de utilizá-lo e não usar os dedos para aplicá-lo. Os pinceis para aplicação devem passar pelo mesmo processo de higienização dos pinceis do gloss.

Doenças

Candidíase (“sapinho”): doença causada pelo fungo Candida albicans e que ataca qualquer parte da pele humana. Os sintomas mais frequentes da candidíase oral são a dor e vermelhidão da boca e mucosa, podendo também haver manchas brancas ou placas na mucosa da língua e bochecha. Tratada com medicamentos antifúngicos.

Herpes labial: é uma doença viral recorrente, geralmente benigna, causada pelos vírus Herpes simplex 1 e 2. Após infecção da mucosa, o vírus multiplica-se produzindo os característicos exantemas (manchas vermelhas inflamatórias) e vesículas (bolhas) dolorosas na boca. Não tem cura, mas alguns remédios ajudam a diminuir os sintomas.

Mononucleose: é uma doença infecciosa causada pelo vírus Epstein-Barr e transmitida pela saliva. Causa febre alta, mal estar, fadiga, dores de garganta (faringite), às vezes hepatite moderada e aumento dos gânglios linfáticos do pescoço. A infecção é controlada ao fim de alguns dias, mas o vírus frequentemente permanece por toda a vida escondido no organismo das pessoas. Não há cura.

Gengivite: inflamação que ocorre na gengiva causada por bactérias. A principal característica é a alteração da coloração da gengiva. De um vermelho claro e brilhoso, a gengiva adquire a coloração avermelhada intensa e sem brilho. Outras características são a sensibilidade mais intensa na gengiva e o sangramento.

Eu não empresto minhas maquiagens.

Fonte: Correio de Uberlândia