Olá,

Por: Celina Keppeler – Clicr RBS – Zero Hora

Longe, mas muito longe mesmo de mim tentar defender alguém que molesta crianças. Aliás, pra esse tipo de gente todo castigo do mundo é pouco. Mas não me entra na cabeça uma pessoa que foi molestada por um famoso há vários anos, e cujo pai supostamente recebeu uma grande quantia em dinheiro para ficar calado, vir à imprensa “revelar” o que aconteceu e contestar uma punhado na fortuna que este famoso deixou. Sim, porque a celebridade em questão já está morta, Michael Jackson.

Foto Reprodução

Pois bem, é sabido que, em vida, o rei do pop enfrentou vários processos por abuso sexual infantil. Só que, agora que morreu, ele não pode responder mais nada. Então, ou as pessoas querem o dinheiro ou não sei mais. Porque, por pior que seja o trauma vivido – que acredito ser algo que jamais se esqueça – não existe dinheiro no mundo que ajude a superá-lo. Portanto, dinheiro, neste caso, não é a solução.

Tá, vou esclarecer a história.

Wade Robson e James Safechuck abriram um processo por abuso sexual contra MJ em 2013 e 2014. Só que, a Justiça determina que os processos só teriam validade se tivessem sido aberto até um ano após a morte do cantor.

Os advogados dos rapazes afirmaram, ainda, que Michael gastou cerca de U$ 200 milhões para silenciar suas vítimas.

Safechuck disse que foi molestado por Michael quando tinha oito anos, aos nove foi obrigado a se vestir de noiva para uma “cerimônia secreta” de casamento entre os dois. Em seguida, o cantor teria dado ao pai dele um cheque de U$ 1 milhão para que não levasse o caso aos tribunais.

“Jackson foi tão bem sucedido em suas técnicas de convencimento que o meu cliente passou por diversos atos de abuso sexual de natureza hedionda acreditando que eram atos de amor instigados por ele mesmo”, disseram os advogados de Safechuck.

Robson, que processou o cantor e passou por uma audiência, na qual disse que Michael nunca havia tocado nele, mas que, agora que tinha família, não conseguia mais esconder os abusos que sofreu.

Tá, e agora? Vão processar, tirar, quem sabe, um dinheirinho e a dor vai passar? Querem servir de exemplo pra que o mesmo não se repita com outros, mas, ao mesmo tempo, aceitaram dinheiro para se calar?

Ai, gente, não consigo, simplesmente não consigo enxergar a moral dessa história.

Pois é, até onde vai esta palhaçada?

Lyllyan

Fonte: Zero Hora