Olá,

Liu Lingchao, um chinês de 39 anos, viaja há seis anos a pé por centenas de quilômetros e carregando nas costas uma casa fabricada com materiais de resíduo que ele mesmo recicla, o que o tornou famoso na China e lhe rendeu o apelido de “homem caracol”.

Liu, nativo da cidade de Liuzhou, no sul do país, percorre centenas de quilômetros de sua região, Guangxi, para colher garrafas de plástico, roupa usada e outros materiais que vende pelo caminho para poder viver, embora algumas coisas ele reutilize em sua casa portátil.

Com isso, Liu cobre uma armação de estacas de bambu que, com a passagem dos dias, vai se transformando em uma cabana andante que ele leva para todos os lados e com a qual se protege das inclemências do tempo.

Para levá-la daqui para lá, Liu só precisa entrar nela, colocar a armação de bambu nos ombros, e se endireitar para alçar toda a estrutura e caminhar.

Liu faz isso lentamente, outra característica que o assemelha a um caracol, já que os 60 quilos da casa não o permitem uma grande velocidade e nem percorrer longas distâncias, embora alguns dias chegue a viajar com sua casa 20 quilômetros.

Assim Liu percorre a cada ano os cerca de 500 quilômetros que o separam de sua cidade natal de Wuzhou, primeiro em um sentido e depois no oposto, o que lhe custa vários meses, relata a agência oficial “China News”.

O tempo vai deteriorando sua “casa”, por isso que Liu tem que fazer, aproximadamente uma vez por ano, outra nova, e a desta temporada é mais chamativa.

Ele é decorada com flores de plástico e fitas coloridas, por isso que muitos internautas publicaram fotos dela nas redes sociais quando Liu passou por suas localidades.

Isto deu certa fama ao “homem caracol”, embora Liu não fale muito com estranhos e não gosta que tirem fotografias, por isso que não costuma conceder muitas entrevistas.

Em uma das poucas vezes que falou com a imprensa, Liu contou que há anos viveu dramáticas experiências (seu pai faleceu em um acidente, sua mulher se divorciou dele e perdeu o trabalho), e que desde então, teve medo de viver em uma casa convencional por “temor de que tudo despencasse outra vez”.

O “homem caracol” também relatou que a ideia de uma casa móvel nasceu após anos de vadiagem, quando conseguiu arrumar um trabalho de uns dias de duração, no qual construiu uma casa de bambu e tela que pouco depois teve que deixar com grande pena, por isso que pensou que a seguinte que fizesse levaria a todas partes.

Muito difícil viver assim…

Fonte: Terra