Olá,

A presidente da Libéria, Ellen Johnson Sirleaf, declarou estado de emergência nesta quinta-feira por conta do surto mortal de ebola. Em cadeia nacional de televisão, Sirleaf alertou seus cidadãos de que algumas liberdades civis podem ser suspensas na tentativa de conter o alastramento da epidemia.

Voluntários enterram vítima de ebola de modo obedecendo padrões de segurança, que outras pessoas não possam entrar em contato com o corpo Foto: HANDOUT / REUTERS

De acordo com o último balanço da Organização Mundial da Saúde (OMS), 932 pessoas morreram no Oeste da África por conta do ebola. Desses casos, 282 aconteceram somente na Libéria. O vírus também atingiu outros países do Oeste da África, como Guiné, Serra Leoa e Nigéria, matando mais de 930 pessoas.

Ao anunciar o estado de emergência por 90 dias, o presidente Sirleaf disse em um comunicado que o governo e o povo da Libéria precisam adotar “medidas extraordinárias para a própria sobrevivência do nosso Estado e para a proteção das vidas de nosso povo”.

Ela disse ainda que “a ignorância e a pobreza, bem como as práticas religiosas e culturais arraigados, continuam a agravar a propagação da doença”. Observadores dizem que a crise Ebola na Libéria piorou porque muitas pessoas estão mantendo familiares doentes em casa, em vez de levá-los para centros de isolamento.

Uma reunião que começou nesta quinta-feira em Genebra, na Suíça, deve decidir até o fim de semana se a OMS declara emergência de saúde global.

Ebola é um vírus que causa febre hemorrágica, sendo uma das doenças mais mortíferas conhecidos para os seres humanos. Ele é transmitido pelo contato com fluidos corporais de pacientes com os sintomas. Sua taxa de mortalidade varia entre 55% e 90%.

Vamos torcer muito para esta doença não se espalhar para os outros países fora do continente da África e que eles consigam por fim a isto.

Fonte: O Globo