Olá,

Em assembleia no início da noite desta quinta-feira, 22, os motoristas e cobradores de ônibus de Osasco decidiram continuar em greve por tempo indeterminado.

À tarde, sindicato e empresas se reuniram em audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho, na qual os empresários mantiveram a proposta de reajuste de 8%. A oferta não foi aceita pela categoria.

Segundo a prefeitura de Osasco, às 17h desta quinta-feira, apenas 33% da frota da cidade estava nas ruas. As duas empresas que operam no município registravam paralisação. Dos 177 veículos da Viação Osasco, apenas 26 atendiam a população. Já entre a frota da empresa Urubupungá, 91 dos 170 coletivos estavam operando.

As duas empresas atendem 140 mil passageiros por dia. De acordo com estimativa do prefeito Jorge Lapas, pelo menos 65% da população da cidade está sendo afetada pela paralisação.

Prisão. Dois cobradores de Osasco que participam da greve de ônibus foram presos na manhã desta quinta-feira, 22, pela Polícia Militar sob acusação de depredar coletivos. Inicialmente, a assessoria de imprensa da PM afirmou que os homens haviam sido detidos por ameaçarem com arma de fogo motoristas e passageiros que tentavam embarcar em um coletivo da cidade. Mais tarde, porém, a cabo da PM Cristiane Dourado, que participou das prisões, negou a informação e afirmou que os suspeitos foram detidos por danificarem ônibus e não estavam armados.

Esta categoria não tem minha admiração pela falta de respeito que eles proporcionam ao trabalhador que precisa do transporte público.

Ao invés de paralisação, escrevo mais uma vez, liberem a catraca.

Fonte: Estadão