Olá,

O cemitério é suntuoso e cheio de glamour como a Fórmula 1, mas a lápide é humilde, característica que muitos usam para lembrar de Ayrton Senna. No dia em que se completam 20 anos da morte de um dos maiores nomes da história do esporte, vários fãs do tricampeão mundial comparecem ao Cemitério do Morumbi, na Zona Sul de São Paulo, para prestar homenagens.

“O Ayrton sacrificou a vida dele para nos dar alegria todos os dias, especialmente aos domingos. Eu me sacrifico vindo até aqui para dar alegria para a alma dele. Venho todos os anos no dia 1º de maio”  afirmou o aposentado Francisco Viana da Silva.

Ao lado do lápide, também despertou atenção a presença de um trio bastante emocionado. Atílio Bonfiglioli, chefe de Recursos Humanos, abraçava com afinco a sua mãe, Áurea, de 86 anos, e a tia dele, dona Esperança, de 94 anos.

“Todos os anos, nós estamos no cemitério para demonstrar a importância do Senna nas nossas vidas. Ele é o nosso maior ídolo, e representa a continuidade da vida. Para nós, o Senna não vai morrer jamais” disse Atílio, que vestiu a camisa do Corinthians para relembrar o time de coração do saudoso piloto.

Quando Ayrton morreu, em 1994, houve uma imensa mobilização nas ruas de São Paulo. O velório durou mais de 22 horas e contou com a presença de cerca de 240 mil pessoas. O corpo chegou ao Brasil no dia 4 de maio daquele ano, mas só foi enterrado no dia seguinte. Desde então, brasileiros e turistas vão ao Cemitério do Morumbi.

“Eu tento vir sempre que posso. Eu era muito pequeno quando ele morreu, tinha só 5 anos. Mas meu pai colecionava vídeos das corridas e eu passei a vida assistindo. Muitos achavam estranho eu idolatrar alguém que eu pouco vi com vida. Mas o Ayrton é maior do que tudo isso” falou Gustavo Fernandes, de 25 anos, com o tradicional boné azul que Ayrton usava fora da pista.

Senna cemitério (Foto: David Abramvezt)

cemitério Senna homenagens  (Foto: David Abramvezt)

cemitério Senna homenagens  (Foto: David Abramvezt)

visita túmulo ayrton senna cemitério morumbi são paulo (Foto: Agência Reuters)

Ontem, 30/04/14, eu assisti uma parte do Conexão Repórter sobre Ayrton Senna e novamente chorei de soluçar, como se ele tivesse partido naquela hora… 

Aos domingos minha família se reunia para assistir a Fórmula 1, depois nunca mais foi a mesma coisa… A Fórmula 1 perdeu o encanto… 

Como você faz falta!!!

Amo Ayrton Senna! Eternas saudades!

Fonte: Globo Esporte