Olá,

Uma linha de camisetas da Adidas sobre a Copa do Mundo está gerando polêmica por causa do duplo sentido que o material traz.

Adidas oferece produtos para a Copa com mensagens de duplo sentido sobre mulheres brasileiras - 1 (© Divulgação)

Ao mesmo tempo que fala de Brasil e da paixão pelo futebol, também reforça o apelo sexual num momento que o governo do País luta para não passar essa imagem internacionalmente. O material causou revolta na Embratur, que promete formalizar nesta terça uma reclamação à empresa alemã de material esportivo.

Adidas oferece produtos para a Copa com mensagens de duplo sentido sobre mulheres brasileiras - 1 (© Divulgação)

A camiseta coloca um coração amarelo que também pode ser enxergado no formato de nádegas com um fio dental verde. Passa uma mensagem de duplo sentido e fala ‘Eu amo o Brasil’. No site, custa US$ 22 (R$ 51,50). O portal do jornal O Globo já havia mostrado a peça na segunda-feira, 24.

Adidas oferece produtos para a Copa com mensagens de duplo sentido sobre mulheres brasileiras - 1 (© Divulgação)

Outra blusa apresenta a frase ‘Lookin’ to score’, que pode ser traduzida por ‘em busca dos gols’. Mas também é uma expressão que significa ‘pegar garotas’ de uma maneira mais sexual. A imagem de uma moça de biquíni não deixa dúvidas da dupla intenção. Ela está à venda no site da adidas nos Estados Unidos (www.adidas.com/us/) por US$ 25 (R$ 58,50) e parece fazer parte de uma nova linha.

Adidas oferece produtos para a Copa com mensagens de duplo sentido sobre mulheres brasileiras - 1 (© Divulgação)

‘Vamos entrar em contato com a direção da Adidas, fazendo um apelo para que reveja essa atitude e tire os produtos do mercado. Essa campanha vai no sentido contrário ao que o Brasil defende’, explica Flávio Dino, presidente da Embratur. ‘Nosso esforço é voltado para a promoção do Brasil pelos atributos naturais e culturais. Uma iniciativa dessas ignora e desrespeita a linha de comunicação que o governo adota.’

Esforço inútil, já que a maioria das mulheres e dos homens aqui no Brasil vendem a imagem que somos o paraíso sexual.

Não pode vir um artista pra cá que elas se apresentam como “modelos”, ficam com os caras e no dia seguinte postam o vídeo de sexo e não demora muito descobre-se que já fizeram filmes pornôs…

Li uma reportagem noutro dia que as prostitutas e os garotos de programas estudam o intensivo em inglês para consequentemente atender os estrangeiros, pois a procura irá aumentar.

As mulheres que curtem funk usam tiras para cobrir o corpo porque aquela vestimenta não pode ser considerada roupa e dançam vulgarmente, sem esquecer das que dançam axé, então como mudar esta imagem?

Eu amo desfilar no Carnaval, mas não posso deixar de ressaltar que vários componentes de ambos os sexos desfilam pelados com apelo sexual, sendo que o foco da competição são as fantasias, os carros, o enredo etc.

Portanto, os estrangeiros nunca conseguiram ver o Brasil de outra forma, ou somos vistos como índios ou como paraíso sexual, fato!

Por culpa de uns todos pagam.

Fonte: MSN