Olá,

A depilação sumária das partes íntimas femininas, conhecida internacionalmente como “Brazilian bikini wax” (ou somente ‘Brazilian’), dominou pela última década tanto salões como a cultura popular, deixando quem aderiu a ela completamente sem (ou com apenas uma lembrança) de pelos na região pubiana.

A pintura de Gustave Courbet "A Origem do Mundo" tem servido de inspiração (© AP)

A pintura de Gustave Courbet ‘A Origem do Mundo’ tem servido de inspiração

Porém recentemente, talvez para o alívio daquelas que passaram por este doloroso procedimento, parece ter havido um regresso a um visual mais peludo.

A atriz americana Gwyneth Paltrow falou sobre este look mais natural dos anos 1970 ao descrever a região em que veste seu biquíni na última coletiva de imprensa para o filme “Homem de Ferro 3”. A cantora Lady Gaga posou na capa da edição de Inverno 2013-14 da revista Candy em plena exuberância de seus pelos. E finalmente a atriz Gaby Hoffmann apareceu nua, com um matagal sem cortes, no filme “Crystal Fairy and the Magical Cactus” e na televisão, no programa “Girls” (interpretando uma personagem perturbada, mas livre).

Em entrevista, Hoffmann declarou preferir ser mais peluda. “Se eu permanecer fiel ao que gosto estarei na moda a cada década”, ela disse, afirmando que sua experiência com cera foi breve.

“Eu cresci vendo muitas mulheres peladas e seus matos robustos”, completou. “Nunca me passou pela cabeça depilar”, afirma dizendo se sentir desconfortável pelo falatório gerado por seu estilo.

“Este é um daqueles temas que infelizmente rendem falatório enquanto nós não nos livrarmos de nossas obsessões puritanas bizarras quanto ao sexo e à figura da mulher.”

Realmente, o assunto por vezes chega ao ponto da polêmica. Em outubro passado, a fotógrafa Petra Collins se tornou um caso famoso da internet após o Instagram deletar sua conta depois que ela postou um autorretrato vestindo a parte debaixo do maiô com a região pubiana sem depilação. (Ela abriu uma nova conta, agora mais comportada.)

Uma médica ginecologista de Chicago chamada Lauren Streicher escreveu um livro sobre saúde chamado “Love Sex Again”, que deve sair ainda este ano. Diz ela: “Historicamente, pelos pubianos cheios eram um indicativo de saúde em dia. Se você não tiver pelos por ali há uma chance de ficar irritada ou ter uma ardência ao barbear”, acrescentou.

Em algumas esquinas de Manhattan, as “carecas” do Brazilian wax se tornaram algo fora de moda, mais a ver com Barbies peladas ou participantes de reality show do que ao estilo de vida orgânico do suquinho natural e das aulas de pilates.

“Nós percebemos uma queda significativa nos pedidos da depilação com cera”, disse Angela Jia Kim, proprietária do Savor Spa, de Nova York. “Nossas clientes são especialmente ligadas a ecologia e saúde e um look mais peludo combina melhor com uma mulher ‘au naturel’”, declarou.

Em um vídeo promocional do seu livro “Como ser Mulher”, a feminista britânica Caitlin Moran mostra de maneira jocosa a televisão enorme que ela comprou com os meios de “não ter feito uma ‘Brazilian’ por mês nos últimos 10 anos”.

Ela ainda acrescentou: “Minhas partes lá debaixo não são como as de uma criança. Elas são as de uma mulher adulta”.

Shannon Conley é a proprietária da Urban Waxx, cujas três filiais em Portland, Oregon, realizaram 23 mil depilações com cera no último ano, disse ela, cobrando US$ 70 (R$ 170) para a primeira vez. Mesmo que Shannon não tenha visto queda na demanda, ela notou que há uma modificação na Brazilian.

“Às vezes, à medida em que as mulheres ficam mais velhas, elas se sentem mais inseguras de não ter nenhum pelo”, ela disse. “Então deixar alguns pelos em cima dá a impressão de ter um comprimento normal dos pelos pubianos, mas ainda assim são depiladas.”

Pelos últimos seis anos, Alexis Steinman, 37 anos, de Seattle, tem feito uma depilação com cera do seu próprio jeito, que ela chama “the Alexis”: uma frente completa e todo o resto pelado. “Eu fui ridicularizada por várias depiladoras, mas, sem nenhum pelo, pareceria uma stripper ou uma criança”, disse Steinman. “Nenhuma das duas coisas é o que eu quero para mim enquanto mulher.”

Em vez disso, seu estilo é mais influenciado por algumas de suas obras de arte favoritas, como a pintura de Gustave Courbet “A Origem do Mundo” (1866) ou a obra de Egon Schiele. Pelos pubianos, disse Steinman, “são reconfortantes, puros e eróticos ao mesmo tempo”.

Quanto à opinião dos homens, as reações à renascença parecem se dividir.

“Fiquei horrorizado com a falta deles”, disse o escritor Rob Delaney.

Mas o comediante Jim Norton declarou que ele ficaria “mais feliz com a volta das calças boca de sino em vez dos pelos pubianos. Bloqueia a visão de algo que amo muito”, afirmou.

Pelos e esporte não combinam, então sou totalmente contra pelos…

Viva a depilação.

Fonte: MSN