Olá,

E colocaram Michael Jackson no meio deste lixo de livro…

O livro Servicio Completo — La Secreta Vida Sexual de las Estrellas de Hollywood (Anagrama), lançado neste mês na Espanha, traz tudo que o os aficionados por celebridades sempre quiseram saber sobre quem a vida íntima das estrelas em Hollywood. A obra, de Scotty Bowers e Lionel Friedberg, conta a história de Bowers, um frentista bissexual que não só pegava homens e mulheres, como também, descolava parceiros e parceiras para os atores e diretores da famosa cidade dos sonhos.

Um exemplo é a belíssima atriz norte-americana Katharine Hepburn. Segundo Bowers, a intérprete do clássico The Lágrimas do Céu, gostava de mulheres. Scotty teria apresentado a artista 150 mulheres. Ainda de acordo com o livro, o amor eterno de Katharine pelo ator Spencer Tracy era uma fachada criada pelos produtores de Hollywood.

James Dean, a mais perfeita personificação de rebeldia da juventude da década de 1950, também teria se relacionado com homens, no entanto, não agradava o frentista Bowers. Segundo o autor, Dean era mal educado e desagradável,  e tinha o terrível hábito de olhar as pessoas “do alto”, sem respeitá-las.

Em se tratando de promiscuidade, Bowers relembra nomes como o de Rock Hudson. Hudson, que estrelou diversas comédias românticas ao lado de Doris Day, e que morreu em decorrência da Aids, recorria às ruas todas as noites e levava para a cama até mendigos.

Outra boa história contada pelo frentista Bowers, que era casado com uma mulher, mas que adorava homens, destaca o nome do ator Vicent Price. O dono da risada mais macabra que aparece no final da música Thriller, de Michael Jackson, era um de seus parceiros sexuais.

Embora a atriz Vivien Leigh (E O Vento Levou…) e a cantora Edith Piaf  também tenham sido clientes de Bowers, era com os gays que o frentista fazia mais sucesso. Sergi Doria, resenhista da obra relata.

“Segundo suas próprias estatísticas, 60% de seus clientes eram ‘gays ou lésbicas e 40% eram heterossexuais.”

Bowers também relata que por muitas vezes precisou substituir Errol Flynn e William Holden, que só saíam com mulheres lindas, no ato sexual. De acordo com o autor, ambos os atores viviam sempre bêbados, e às vezes não conseguiam completar o ato sexual para não desagradar suas parceiras.

Poxa! O Frentista estava na profissão errada não?!

Esqueçam que Michael existiu!!!

Lyllyan

Fonte: Tribuna Hoje