Olá,

Eis aqui uma verdade sobre crianças com autismo: elas crescem e se tornam adultos com autismo. Defensores estimam que ao longo da próxima década, 500 mil desses indivíduos se tornarão adultos nos Estados Unidos.

+ Cientistas denunciam saqueadores de fósseis

Ninguém pode afirmar com certeza o que a vida adulta lhes reserva. Para começar, onde eles vão morar e trabalhar? Um estudo de 2008 da Easter Seals descobriu que 79 por cento dos adultos jovens com distúrbios do espectro do autismo continuam a residir com os pais. Uma grande maioria deles nunca procurou emprego.

Mesmo assim, a expectativa de vida dos autistas é mais ou menos igual à média. Eis aqui outra verdade, então, sobre crianças com autismo: elas não podem ficar em casa para sempre.

Essa percepção – tão óbvia quanto preocupante – despertou recentemente o começo de uma reação de pesquisadores, arquitetos e, especialmente, dos pais. Em 2009, duas acadêmicas, Kim Steele e Sherry Ahrentzen, colaboraram em “Propostas de habitação para todo o espectro”, diretriz abrangente para projetar casas para adultos autistas; um livro mais detalhado sobre o tema deve ser lançado no ano que vem.

Quem sabe o primeiro avanço dentro desse modelo seja o Sweetwater Spectrum, residência para 16 adultos cujas capacidades e deficiências abrangem todo o espectro autista. O projeto inovador de US$ 10,4 milhões foi inaugurado em janeiro no centro da região vinífera da Califórnia; as famílias fundadoras e a diretoria esperam torná-lo um modelo para experimentos similares pelos EUA.

“Você escuta sobre organizações diferentes planejando fazer essas coisas”, disse Ahrentzen, professora do Centro Shimberg para Estudos Habitacionais da Universidade da Flórida. Entretanto, “demora até essas diversas fontes de financiamento estarem funcionando.”

Tomará que ninguém julgue esta iniciativa dizendo que querem excluir os autista da sociedade… Porque tudo agora é motivo de protesto…

Fonte: MSN