Olá,

Se em 2009 a revista britânica “The Economist” sinalizava que a economia brasileira estava pronta para decolar, hoje o sentimento é de pessimismo.

Naquele ano, a revista trazia na capa o Cristo Redentor na forma de um foguete, prestes a levantar voo, com o título “Brasil takes off” (“Brasil decola”, em tradução livre). A nova edição, de outubro, e que deve ser publicada nesta quinta-feira (26), também mostra o Cristo, mas, desta vez, em trajetória de queda.

Capas da revista 'The Economist' em 2009 e em outubro de 2013; Enquanto antes dizia que Brasil iria decolar, sentimento hoje é de pessimismo

A reportagem de capa, de 14 páginas, questiona “Has Brazil blown it?” (“O Brasil estragou tudo?”, em tradução livre).

Não é a primeira vez que a revista critica a economia brasileira.

Em junho, chamou de medíocre o desempenho da país desde 2011 e pediu, em tom irônico, para o ministro Guido Mantega permanecer no cargo. Em reportagem anterior, havia pedido sua saída.

Desde 2012 a publicação britânica já vem adotando tom mais cauteloso quando o assunto é o Brasil. As matérias dedicadas ao país chamam a atenção, entre outros fatos, a riscos políticos, elevados custos para fazer negócio e protecionismo no petróleo, o que afastaria investidores externos.

DILMA

Em discurso realizado na quarta-feira (25) em Nova York, a presidente Dilma tratou de falar sobre oportunidades de investimentos em infraestrutura no país.

Repetiu diversas vezes que o Brasil não fere contratos. Conforme a presidente, há “mais de 20 anos”, o país cultiva uma “prática de respeito aos contratos”.

Antes de iniciar seu discurso para os investidores, em uma entrevista coletiva Dila jornalistas, a presidente afirmou que, “se tem um país que respeita contrato, é o Brasil”.

Na época que esta matéria foi publicada (2009), um dos meus executivos até pediu para eu escarnear a matéria e divulgar para o povo… kkkkk

Fonte: Folha