Olá,

Um dos executivo da AEG Live insiste em dizer que Celine Dion é um artista “maior” do que Michael Jackson.

John Meglin, testemunhou na quarta-feira, 24/07/13, no julgamento de homicídio culposo movido contra do AEG Live, que também minimizou quantos bilhetes Michael Jackson poderia ter vendido, se ele não tivesse morrido durante a preparação para sua turnê de retorno.

Os advogados da AEG estão desafiando um especialista em contabilidade artística contratado pelos advogados da família Jackson em que o Rei do Pop teria ganhado mais ou menos US$1500000000 com a turnê pelo mundo antes dele completar seu 66º aniversário, se não tivesse morrido de uma overdose de um anestésico cirúrgico aos 50 anos.

A mãe de Michael Jackson e seus três filhos afirmam que a empresa é responsável pelos danos, porque contrataram, mantiveram e não supervisionaram o médico condenado por homicídio culposo na morte do cantor.

Os jurados poderão usar as estimativas de lucros de Michael Jackson como um guia para determinar o quanto AEG Live ( promotor e produtor de sua turnê “This Is It”) deveria pagar os familiares do cantor pelos danos.

Os advogados da AEG argumentam que Michael Jackson foi quem escolheu o médico Dr. Conrad Murray, o médico que assinou um contrato de US$ 150 mil mês com a empresa para acompanhar Michael Jackson durante a turnê. Os executivos da AEG nunca assinaram o contrato com Murray que foi devolvido a eles poucas horas antes da morte de Michael Jackson.

O advogado da AEG Marvin Putnam disse que seria um desfile de “muitos, muitos” profissionais médicos que atenderam Michael Jackson. A empresa vai tentar provar que Michael Jackson era um viciado em medicamentos e mantinha em segredo, o que impediu os promotores de saber sobre os perigos que ele enfrentou sob os cuidados de Murray.

Meglin, que trabalha como promotor de shows desde 1970, é o CEO da divisão da AEG do Oeste, que estava no comando da turnê de Michael Jackson. Ele foi a primeira testemunha a ser chamada pela empresa para apresentar a sua defesa na 13 ª semana do julgamento.

Grande parte do seu testemunho foi focado em atacar a análise de Contador Público Arthur Erk, que testemunhou na semana passada que estava “razoavelmente certo” de que Michael Jackson teria realizado 260 shows ao redor do mundo, com sua turnê “This Is It”. Ele teria ganho 890,000 mil dólares ao longo dos três anos de shows na Europa, Ásia, América do Sul, América do Norte e Austrália, disse Erk.

Michael Jackson teria ganhado pelo menos $ 1,5 bilhão com a turnê, apoios e patrocínios se tivesse vivido até os 66 anos de idade, disse Erk.

A análise de Erk sugeriu que Michael Jackson iria encenar muitos shows em grandes estádios, com mais de 90 mil fãs comprando ingressos para muitos dos shows. Mas Meglin testemunhou que pela sua experiência que não teriam assentos nos estádios para muitas pessoas ver o show de Michael Jackson. As estimativas Erk foram infladas por cerca de 30%, testemunhou Meglin.

O Rose Bowl só tem 60.000 assentos, disse Meglin. Embora a revista Billboard informou que U2 realizou um show para 97 mil pessoas no Pasadena, Califórnia, em 2009. Meglin disse que estava “confiante no seu intestino” que os números foram inflados. “Eu sei como esses números podem ser manipulados”, disse ele.

O advogado Brian Panish observou que 98 mil pessoas estavam nos assentos Rose Bowl, quando Michael Jackson realizou o show do intervalo do Super Bowl em 1993.

Meglin também contestou a sugestão de Erk ao dizer que Michael Jackson teria levado sua turnê pelo menos três vezes.

“Ninguém vai para a Índia”, disse ele. Ele reconheceu mais tarde que Michael Jackson realizou shows na Índia com sua turnê HIStory.

“Não é um mercado muito grande”, disse Meglin sobre a Índia, que é o lar de cerca de 1,25 bilhão de pessoas.

Meglin também discordou que um dos seus superiores, o CEO da AEG Randy Phillips, escreveu em um e-mail que não havia demanda suficiente na Inglaterra para vender mais do que os 200 shows de Michael Jackson. “Ele acreditava que,” testemunhou Meglin. “Eu não acredito nisso.”

Fãs compraram todos 750,000 bilhetes colocados à venda para os 31 shows em março de 2009 em apenas duas horas, disse Phillips. Número suficiente de compradores já foram registradas para vender mais de 100 shows, escreveu Phillips.

Meglin também discordou da opinião de Phillips de que Michael Jackson foi o maior artista de entretenimento de todos os tempos.

“Eu faço eu mesmo, pessoalmente, acredito que isso não é verdade”, Meglin testemunhou na quarta-feira. “Na minha opinião Celine Dion está lá em cima com Michael Jackson e, para mim, ela é maior.”

São dois artistas com estilos diferentes que não dá para comparar, portanto cada um tem seu espaço. 

Comparação mais sem noção deste executivo.

Lyllyan

Fonte: CNN