Olá,

Michael Jackson não estava abusando de analgésicos nos anos que antecederam a sua morte, de acordo com um médico especialista que testemunhou nesta quarta-feira, 03/07/2013.

Michael-Jackson-was-not-abusing-paid-meds

O Dr. Sidney Schnoll prestou depoimento no julgamento de homicídio culposo decorrente de uma ação movida pelo rei da mãe do Pop.

Katherine Jackson afirma que os executivos da promotora de eventos AEG Live foi negligente na contratação e supervisão do ex-médico de Michael Jackson, Conrad Murray, enquanto o cantor se preparava para sua série de shows de retorno.

Murray foi acusado de administrar a dose do poderoso anestésico propofol, que matou Michael Jackson em 2009.

Segundo o testemunho do Dr. Schnoll relatado pelo New York Daily News, o cantor teria construído uma forte tolerância a outros medicamentos para a dor quando havia abusando de medicamentos.

“Ele teria que tomar uma dose muito maior de Demerol para obter o [necessário] efeito para a cirurgia”, Schnoll disse ao júri.

O médico baseou sua análise sobre os registros médicos afirmando que Michael Jackson precisava de 100 miligramas da medicamento para se submeter a um procedimento de dermatologia em 2008.

O médico  está agindo como uma testemunha paga pelos demandantes, de acordo com o News.

AEG executivos negam qualquer irregularidade.

Os advogados da empresa afirmam Murray foi contratado apenas por insistência de Michael Jackson.

Esta história do uso abusivo de medicamentos é confusa, uns diz que ele utilizava e outros não… A meu ver, Murray estava o viciando novamente…

Lyllyan

Fonte: Music News & New York Daily News