Olá,

AEG Live criou um conflito de interesses em seu acordo com Michael Jackson para pagar o Dr. Conrad Murray como médico pessoal durante as execuções do show “This Is It”, testemunhou no dia de hoje o ex-executivo aposentado David Berman.

David Berman, foi um advogado que ocupou cargos do alto escalão como Warner Bros e Capitol Records, ele testemunhou a favor de Katherine Jackson no caso da negligência contra a empresa responsável pela turnê “This Is It”.

Berman fez seu depoimento no dia de hoje chegando assim a oitava semana do julgamento, ele disse que as decisões da AEG Live sobre Murray estavam errado, porque colocaram o médico em uma posição de ter que ser leal tanto para a empresa como para o cantor e, portanto, sujeito às inevitáveis ​​conflitos que trazia o arranjo.

“Foi mais notório e concreto dado os fatos e as circunstâncias do caso”, Berman testemunhou.

Os advogados da AEG Live afirmam que Michael Jackson contratou Murray em 2006, como seu médico pessoal e o escolheu para ser o seu médico durante os 50 shows na O2 Arena, em Londres, como parte de um acordo independente.

Berman deu com base em sua suposição de que a AEG Live contratou Murray, mas essa questão será, finalmente, uma questão para o júri.

Ambos os lados concordam que Murray concordou em receber US $ 150.000 por mês, sob a forma de um empréstimo que a AEG fez a Michael Jackson, mas que o cantor morreu antes da finalização do contrato.

Murray, cardiologista, nunca recebeu nenhum dinheiro.

Berman disse que no e-mail do CEO da AEG Live para Kenny Ortega, diretor da turnê deixou claro que Randy Phillips estava ciente de um conflito de interesses entre Murray.

No e-mail, Phillips disse que Murray foi “totalmente imparcial e ético”, disse Berman.

As observações sugerem que a Phillips sabia que seria problemático se Murray fosse antiético e preconceituoso, disse Berman.

“Eu tenho um problema sério com essa afirmação”, disse Berman.

Berman disse que nunca tinha ouvido falar de um promotor de eventos concordar em fornecer um médico para um artista a pedido do artista. Ele disse que, para evitar o conflito de interesses, AEG Live deveria ter dito a Michael Jackson para contratar Murray por conta própria, sem qualquer ajuda da empresa.

Ele também disse que a AEG Live deveria ter dito a Michael Jackson que outro médico conhecido pelos executivos da AEG poderia ter sido contratado por menos dinheiro do que Murray.

Como é confusa a história deste contrato da quantidades de shows e deste médico… E não era para ser assim, já que, a AEG vive de contratação de artista para realizar shows.

Lyllyan

Fonte: Southwest Riverside New Network