Olá,

Michael Jackson parecia “um pouco maluco” depois das visitas que fazia ao seu dermatologista de longa data, Dr. Arnold Klein,  contou  o coreógrafo que trabalhou como o astro pop ao júri nesta terça-feira.

Travis Payne testemunhou o comportamento incomum de Michael Jackson após Michael visitar o Dr. Arnold Klein, e Payne acreditava que o médicos realizava tratamentos cosméticos no cantor para que ele pudesse se sentir confortável sob o palco novamente.

“Às vezes, no ensaio, Michael parece um pouco maluco”, Payne disse, acrescentando que o cantor parecia estar “assistido ou sob a influência de alguma coisa.”

Payne estava trabalhando para a AEG Live LLC, empresa promotora da turnê “This Is It” de Michael Jackson, que foi cancelada depois de junho 2009 por causa da morte de Michael Jackson.

O coreógrafo que é testemunha da AEG, que está sendo processada pela mãe de Jackson. Katherine Jackson alega que a AEG não investigou devidamente Conrad Murray, o médico que foi condenado por homicídio culposo pela morte de Michael Jackson, e que a promotora de concertos também ignorou sinais da má saúde de Michael Jackson.

AEG nega que contratou Murray, e afirma que Michael Jackson era reservado sobre seus tratamentos médicos e se esconderam nas profundezas de seu vício em medicamentos de prescrição. Michael Jackson morreu de uma overdose do anestésico propofol, que Murray estava dando a ele como um auxílio para dormir.

A empresa também não contratou o dermatologista Klein.

Klein é listada como uma testemunha potencial no caso, mas não se sabe se ele vai depor. Seu tratamento com Michael  Jackson, que incluiu Demerol, foram analisados tanto durante 2011 no julgamento criminal de Murray e no processo civil atual.

Payne, o coreógrafo, disse ter testemunhado várias vezes comportamentos incomuns de Michael Jackson nas semanas antes de sua morte. O cantor também apareceu grogue durante algumas sessões da manhã, Payne disse que, ocasionalmente, reclamou com Michael e ele disse que estava tendo problemas para dormir.

Payne disse que não acha que Michael Jackson tinha um problema de abuso de medicamentos de prescrição. Ele reconheceu que Michael Jackson perdeu ensaios e viu o cantor tremendo e com frio em alguns de seus ensaios finais.

Ele disse ao júri que pensou que Michael Jackson estava magro, mas disse ao júri que não tinha conhecimento de um e-mail enviado dos executivos da AEG  buscando remover as imagens de Michael Jackson ensaiando para “This Is It”, filme no qual ele foi descrito como parecendo “esquelético. ” O e-mail não foi exibido para o júri.

Payne disse aos jurados que ele viu Murray por duas vezes, mas ambos os encontros foram breves.

Payne trabalhou com Michael Jackson no início dos anos 1990 e testemunhou que ele nunca viu Michael Jackson beber álcool ou tomar qualquer medicação. O cantor também nunca discutiu seus tratamentos médicos, Payne disse.

Neste novo julgamento parece que todos resolveram falar a “verdade” de como Michael Jackson estava mal, magro, abusando de medicamento, paranoico, maluco e assim vai…

No julgamento do Conrad Murray todos pareciam dizer que Michael estava bem, dentro do peso, dançando e cantando como nunca, feliz da vida…

Lyllyan

Fonte: Washington Post