Olá,

A pílula é um dos símbolos da independência feminina. A partir do momento que pudemos começar a escolher se o sexo, para nós, seria para reprodução ou recreação nossa realidade mudou. Nos tornamos donas de nossos próprios corpos, em vez de deixar tudo na mão da natureza.

Mas aí, em pleno 2013, um tipo de anticoncepcional – Diane 35mata mulheresElas tomavam a pílula, tinham entre 18 e 46 anos, e sofreram acidentes cardiovasculares e trombose. Elas viviam na França, onde o medicamento já foi proibido. Mas e aqui no Brasil?

Por aqui a Anvisa, que regula os medicamentos, diz que está acompanhando o caso. A pílula ainda pode ser comprada e, sim, você está correndo esse risco. É claro que milhares de outras coisas influenciam para que o remédio passe a funcionar de maneira estranha, mas é sempre bom ficar com o pé atrás.

O que é bom lembrar é que a Diane 35 não é um anticoncepcional, mas é usado como. Esse erro, de pacientes e médicos, é que pode ter sido fatal. Esse medicamento é indicado para tratamento de acne e síndrome de ovários policísticos.

Ficamos tão acostumadas com a boa e velha pílula que até esquecemos dos outros métodos que existem e podem ser ótimos pra você. Sim, você precisa passar por uma consulta médica para fazer essa escolha junto com ele, mas pode levar com você algumas sugestões.

DIU
O que é? Ele pode ser em cobre ou bário e é colocado, numa pequena cirurgia com anestesia local, dentro do útero.
Como funciona? Sua presença torna o endométrio, parte do útero, hostil aos espermatozoides, o que impede a fixação do óvulo no útero mesmo que ele seja fecundado.
Benefícios: Você não tem como esquecer de usar o método, que dura de quatro a 10 anos, é reversível e os efeitos colaterais, quando existentes, são poucos (dor pélvica, sangramentos irregulares nos primeiros meses após sua implantação, corrimentos, cólicas e aumento do fluxo menstrual).
Contraindicações: Para quem já teve infecções tubárias ou uterinas, gravidez ectópica, anormalidades no útero, anemia, câncer ginecológico e alergia ao cobre.
Eficácia: Entre 97 e 99,7%

Contraceptivos injetáveis
O que é? Uma injeção a base de estrógenos e progestágenos aplicada mensalmente.
Como funciona? Igualzinho a pílula: fazem o bloqueio da ovulação e alteram a composição do muco cervical
Benefícios: Além de não precisar de lembrar de tomar o remédio todos os dias, os hormônios são naturais e resultam em menos efeitos colaterais.
Contraindicações: Mulheres grávidas ou que estejam amamentando.
Eficácia: 99,5%

Implantes
O que é? É uma haste de 4 cm x 2 mm colocado na parte superior do braço, sob a pele.
Como funciona? Ele inibe a ovulação, aumenta a viscosidade do muco cervical e altera o endométrio. A mulher fica sem menstruar por até três anos.
Benefício: Evita a menstruação (70% dos casos), diminui as cólicas e não precisa ser lembrado por três anos. Os efeitos colaterais são leves: irregularidade menstrual, dor no local da aplicação do implante, náuseas, enxaqueca, aumento de peso, diminuição da libido e tontura.
Contraindicação: Mulheres que tenham sangramento irregular.
Eficácia: 99,5%

Anel vaginal
O que é? Um anel de silicone flexível, de diametro de 54 mm e espessura de 4 mm, colocado internamente na vagina
Como funciona? Igual a pílula, mas deve ser retirado a cada três semanas, no período menstrual.
Benefício: Você não esquece de tomar o medicamento, diminui o fluxo menstrual e reduz a incidência de cólicas. Os efeitos colaterais são mais leves (aumento de peso, acne, alterações de humor, dores nas mamas, dores de cabeça, náuseas, vaginite e expulsão natural do anel).
Contraindicação: Mulheres com problemas de varizes, epiléticas, hipertensas, diabéticas, obesas, imunodeprimidas, lactentes e acima do peso.
Eficácia: de 99,6 a 99,8%

Adesivos cutâneos
O que é? Um adesivo quadrado (4,5 cm) com hormônios progesterona e estrógeno.
Como funciona? Igual a pílula, mas direto na corrente sanguínea. Deve ser trocado semanalmente.
Benefício: Evita as náuseas causadas pela pílula, mas mantém seus outros efeitos colaterais, como dores de cabeça, inchaço e alterações no humor, além de poder causar alergia no lugar onde foi colado.
Contraindicação: Fumantes e mulheres acima de 40 anos, devido a riscos cardíacos. Não pode ser usado no período de amamentação.
Eficácia: 99,5%

LEMBRETE IMPORTANTE: nenhum método contraceptivo exclui o uso do preservativo – feminino ou masculino. Os métodos acima evitam a gravidez, mas continuam deixando seu corpo vulnerável a DSTs.

Procure um médico e não deixem de usar camisinha!!!

Fonte: Yahoo