Olá,

O Estudo de Depreciação AutoInfome Molicar mostra que vinte e dois modelos oferecidos no mercado brasileiro são considerados de altíssima depreciação.

Veja os carros que mais desvalorizaram entre 2011 e 2012

No mercado de carro de entrada, onde o preço é determinante na opção de compra, o valor de revenda do carro é um dos atributos mais considerados pelo consumidor na hora de fazer o negócio.

Muitos consumidores no Brasil ainda vêem o carro como investimento ou, pelo menos, como uma forma mais ou menos segura de manter o seu patrimônio: produto de alta liquidez, ele pode ser usado sempre que o seu proprietário tiver necessidade de “levantar” um dinheiro rápido.

Mas se isso vale para os carros pequenos, de grande volume de vendas, não se pode dizer o mesmo de todos os modelos do mercado. Há uma categoria de carros que o consumidor não pode ter dó do dinheiro, caso contrário, não compra.

São os carros grandes, de luxo, todos eles importados. A maioria desses carros tem uma depreciação muito alta e por isso, na hora da revenda, o dono vai perder dinheiro na certa.

O Estudo de Depreciação AutoInfome Molicar mostra que vinte e dois modelos oferecidos no mercado brasileiro são considerados de altíssima depreciação: eles perdem mais de 20% do seu preço depois de um ano de uso. No alto da lista dos mais depreciados está o Omega, da GM, o sedã de luxo importado da Austrália. O carro, que custa R$ 160 mil, perde mais de 25% do preço doze meses após deixar a concessionária. Quer dizer: o Omega comprado em outubro do ano passado por R$ 160 mil está valendo hoje R$ 120 mil.

A van Town & Country, da Chrysler, é o segundo carro mais depreciado no Brasil. Em ano ele perde 24,8% do valor logo depois aparece o Jeep Cherokee, com depreciação de 24,6% no valor de revenda.

Dois modelos da Maserati – o Granturismo e o Quattroporte Sport GT-S, também depreciação mais de 24% (-24.2%). A Maserati é a marca com mais carros na lista dos mais depreciados do Brasil: tem seis num total de 21 modelos que perdem mais de 20% do seu preço após um ano de uso. O Malibu, da GM (-23,4%), e o Carnival, da Kia (23,9%) também estão entre os que mais depreciam.

A diferença de depreciação dos carros de luxo em relação aos modelos mais vendidos é pelo menos o dobro. Os carros menos depreciados perdem em torno de 10% do seu preço após um ano de uso, caso do Celta (-10,8%), do Uno (-11,4%) e do Gol (-12,2%).

Olhando por outro lado, você que gosta de um carro de luxo e não quer investir tanto dinheiro num modelo zero quilômetro, comprar um usado pode ser um bom negócio, pois ele já terá tido a sua grande desvalorização. É nos três primeiros anos de uso que o carro tem as maiores taxas de depreciação (e isso vale para qualquer categoria de carro), por isso, do ponto de vista financeiro, o carro seminovo é o melhor negócio.

Os carros que mais perdem valor
Período estudado: outubro 2011 x outubro 2012
MARCA DEPRECIAÇÃO %
Chevrolet Omega Sedã -25,8
Chrysler Town&Country -24,8
Jeep Cherokee 4×4 -24,6
Maserati Quattroporte Sport GT-S -24,2
Maserati Granturismo -24,2
Kia Carnival -23,9
Chevrolet Malibu Sedã -23,4
Maserati Quattroporte -23,3
Maserati S Competizione -23,2
Maserati Granturismo -22,9
Volkswagen Touareg 4×4 -22,8
Maserati Grancabrio -22,8
Citroën C5 (X7) -21,9
Jeep Wrangler 4×4 -21,9
Kia Magentis -21,9
Kia Sorento -21,9
Mercedes-Benz C 180 -21,9
Citroën C5 Tourer (X7) -21,8
Toyota Rav-4 -21,7
Hyundai Veracruz -21,2
Dodge Ram 2500 cab. dupla 4×4 -21,1
Fonte: AutoInforme / Molicar

Fonte: Yahoo