Olá,

As sacolinhas plásticas pararam de ser distribuídas no dia 4 de abril em São Paulo. Contudo, o fim das sacolas trouxe outro problema. Os clientes desprevenidos, que não levam as sacolas retornáveis e não querem pagar pelas biodegradáveis, estão furtando as cestinhas dos mercados da capital paulista, como mostrou o SPTV desta quarta-feira (18).

Arte sacolinhas (Foto: Editoria de Arte/G1)

Desde que os mercados anunciaram o fim das sacolinhas plásticas, o furto de cestinhas aumentou muito. O gerente de um supermercado ouvido pela reportagem contou que elas praticamente sumiram da loja. Os clientes também têm levado o carrinho de compras.

Alguns supermercados até estudam colocar sensores emitam alarmes quando a pessoa tentar sair levando as cestinhas. Em um mercado da Zona Sul de São Paulo, várias cestinhas foram levadas, além de carrinhos e engradados para levar compras para domicílios.

Os saquinhos para embalar frutas e verduras continuam sendo distribuídos de graça, mas ganharam outra função: levar as compras. Entre as alternativas para levar as compras para casa estão as sacolas de papel, ecobags, caixas de papelão, mochilas, sacolas retornáveis.

Suspensão
A suspensão da distribuição das sacolinhas descartáveis era discutida desde o ano passado. Em maio, a Associação Paulista de Supermercados (Apas) firmou acordo com a Secretaria do Meio Ambiente de São Paulo prevendo a extinção da embalagem nos 1.250 supermercados representados pela entidade – entre eles as principais redes.

Segundo especialistas, as sacolinhas são uma ameaça à natureza porque podem levar 500 anos para se decompor. Elas acabam sendo descartadas de forma inadequada, poluindo a água e o solo.

A proibição do uso começou em janeiro de 2012. No entanto, os supermercados começaram a cobrar pela venda de sacolas biodegradáveis. O Ministério Público e o Procon intervieram. Foi determinado o fim definitivo da venda das sacolas biodegradáveis – porque também são descartáveis – e um prazo de dois meses para os consumidores se adaptarem. Algumas lojas criaram pontos específicos para retirada dessas caixas, que deverão continuar existindo.

Esta semana eu fui ao Extra e não tinha uma cestinha para  colocar os produtos…

O fim das sacolinhas virou um transtorno para realizar uma simples compra de produtos…

Já não gostava de ir ao mercado, agora eu odeio.

Fonte: G1