Olá,

O ex-jogador Janken Ferraz Evangelista, 31, foi condenado nesta quarta-feira a 22 anos de prisão pela morte da ex-mulher, Ana Cláudia Melo da Silva, 18, em São Paulo. O crime ocorreu em 2009, quando a jovem foi assassinada a facadas, em casa.

Janken Evangelista, acusado de matar a ex-mulher em SP

O júri durou três dias, e a sentença foi lida por volta das 19h50, no fórum da Barra Funda (zona oeste de São Paulo). Após o conselho de sentença entender que houve culpa, o juiz Marcelo Augusto Oliveira estipulou pena de 21 anos de reclusão por homicídio triplamente qualificado –motivo torpe, meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima– e um ano de reclusão por furto –por ter levado o celular da vítima após o crime.

O ex-jogador não poderá recorrer em liberdade, segundo decisão do juiz.

Na terça-feira (6), em interrogatório, Janken admitiu ter esfaqueado a ex.

A defesa do ex-jogador pedia que ele respondesse por “legítima defesa com excessos”. Já a acusação pedia que ele respondesse por homicídio triplamente qualificado.

CRIME

Ana Claudia foi assassinada com 14 facadas em sua casa, no dia 22 de março de 2009. A jovem foi encontrada morta no chão do banheiro de empregada do apartamento, na avenida do Cursino, com diversos ferimentos de faca no pescoço.

Após o crime, o ex-marido dela fugiu com o filho do casal –na ocasião com um ano e nove meses– e foi preso três dias depois, na Bahia. Janken aguardava o julgamento no CDP (Centro de Detenção Provisória) de Tremembé (147 km de SP).

Porque será que é tão difícil para alguns casais a separação de forma amigável? Ou discutirem de forma controlável? Porque tem que tirar a vida do(a) outro(a)?

Hoje em dia se envolver sentimentalmente com alguém está mais perigoso do sair a rua… Isto é de fato “dormir com inimigo”.

Fonte: Folha On-line