Olá,

A defesa do Dr. Conrad Murray está tentando mostrar que Michael Jackson tinha forte dependência em drogas debilitantes. Ele não podia se ajudar, mas administrou em si mesmo uma dose fatal de Propofol no dia que ele morreu.

O especilista em tratar pessoas viciadas, Dr. Robert Waldman disse que ele tratou muitas celebridades viciadas em drogas de prescrição e um dos sintomas de abstinência é a insônia, e esta era notoriamente a condição que Michael Jackson sofria.

Ele disse que a retirada do Demerol, um analgésico que supostamente MJ foi viciado, foi particularmente doloroso.

A defesa está tentando mostrar que MJ estava sofrendo de abstinência e que teria feito qualquer coisa incluindo administrar em si mesmo o Propofol somente para adormecer.

O advogado de defesa Ed Chernoff mostrou os registros médicos de Michael Jackson feito pelo seu dermatologista, Dr. Arnold Klein, mostrando que MJ recebeu “excepcionalmente grandes quantidades de Demerol” que é um analgésico altamente viciante dentre os meses de Março e Junho de 2009.

De acordo com os registros do Dr. Klein, MJ recebia até 300 mg do medicamento, ou seja, seis vezes mais do limite recomendado, tudo isto em poucos dias.

Os prontuários também mostraram as quantidades de medicmentos que foram aumentando com à medida que o tempo passo … MJ estava sugerindo a criação de uma tolerância.

Walden disse que MJ se tornou “dependente” de Demerol, mas não chegou a chamá-la um vício.

pacientes-dizem-que-o-dr-conrad-murray-e-o-melhor-medico-que-eles-ja-viram

Lyllyan

Fonte: TMZ