Olá,

A Caixa Econômica Federal tirou do ar ontem um comercial sobre seu aniversário de 150 anos no qual o escritor Machado de Assis era representado por um ator branco.

A peça foi criticada pela Seppir (Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República) e pelo movimento contra o racismo — o escritor era mulato.

A secretaria redigiu um comunicado em que se referiu ao comercial como uma “uma solução publicitária de todo inadequada”. “A Seppir entende que, em respeito a sua contribuição na valorização da diversidade brasileira, a Caixa deve corrigir a produção deste vídeo, reconhecendo o equívoco”, afirmou a nota.

Ao banco restou pedir desculpas e tirar o comercial do ar. “A Caixa lamenta que a peça não tenha caracterizado o escritor, que era afro-brasileiro, com sua origem racial.”

O presidente da Fundação Palmares, Eloi Ferreira, afirmou que o acontecido não compromete a “reputação” do banco como empresa parceira, que preza pela promoção da igualdade.

“A Caixa sempre incluiu nos modelos de publicidade modelos negros e negras, diferentemente de outras instituições financeiras. Me parece que a agencia errou gravemente”, declarou Ferreira.

Para ele, o pedido de desculpas do banco e a retirada do vídeo do ar foram soluções suficientes.

“A instituição não procurou se justificar. Pelo contrário, agiu de forma correta e corrigiu um erro que com certeza foi da agência”, disse o presidente da Palmares.

A Caixa, em nota a Seppir, informou que além da suspensão da veiculação do comercial, o pagamento da campanha publicitária à agência foi anulado.

A Caixa Econômica Federal assim com todos os outros bancos valorizam tanto seus “clientes” que eles nem sabem a etnia de cada um, o importante é o “dinheiro” que eles depositam…

Porque será que para o mundo da publicidade, beleza, moda, carreira profissional entre outros todo mundo tem ser branco?

Pois é, isto ainda se chama preconceito e falta de conhecimento da história brasileira!!!