Associada por vezes a países subdesenvolvidos, a hepatite pode ser contraída em qualquer lugar do mundo. Isso ocorre porque a doença se apresenta em mais de uma forma, com características e maneiras de contágio distintas. Embora um grande passo para erradicação da hepatite tenha sido dado por conta da vacinação, o infectologista do Hospital São Luiz, Orlando Jorge Gomes da Conceição, admite que a informação ainda é a melhor forma para a prevenção, o diagnóstico e o tratamento da doença.

São classificadas como todo tipo de inflamação no fígado, órgão responsável por filtrar as substâncias nocivas do organismo. E cinco grupos diferenciam os tipos virais da doença:

Hepatite A- Com as vacinas e as melhorias em infraestrutura nas cidades, as novas gerações mantêm-se imunes a esse tipo de hepatite. Pode ser transmitida pela ingestão de água ou alimentos contaminados. Normalmente é feito o tratamento medicamentoso, com curta duração. As chances de sucesso atingem 99% dos casos.

Hepatite B- Todas as orientações para evitar a contração do vírus HIV podem ser aplicadas à hepatite B. Contato sexual, transfusão de sangue, compartilhamento de agulhas e seringas são formas de contágio da doença. Aproximadamente 10% dos casos de hepatite B podem evoluir e se tornar crônicos. Assim como o tipo A, a hepatite B possui vacina, aplicada em pacientes ainda crianças.

Hepatite C- Transmitida por meio de contato sanguíneo, é uma das manifestações mais alarmantes da doença, pois não há vacina. Profissionais como dentistas e manicures devem utilizar luvas, materiais descartáveis e esterilizados nos procedimentos desenvolvidos. Em 80% dos casos, atinge a forma crônica. Em grande parte dos episódios desse tipo de hepatite, os pacientes necessitam de transplante de fígado.

Hepatite D- Manifesta-se em pessoas portadoras da hepatite B. Além disso, o paciente tem maiores chances de desenvolver a forma aguda da doença e precisar de transplante de fígado.

Hepatite E- Muito parecido com o quadro clínico da hepatite A, é do tipo não crônico e se manifesta principalmente em países em desevolvimento e com saneamento básico precário, por conta da contaminação da água e de alimentos a serem ingeridos. Raramente esse tipo de hepatite é transmitido diretamente de uma pessoa para a outra.

Principais sintomas da doença:

Pele amarelada (icterícia);
Febre;
Fraqueza;
Enjoos;
Urina escura;
Fezes claras.

Ainda segundo o infectologista Orlando, doenças associadas como AIDS, outras formas de hepatites, bem como o consumo de bebidas alcoólicas e a obesidade, podem agravar o estado clínico do portador da doença.

Cuidar-se sempre!

Carol.

Crédito: Rac.