Olá,

Depois de ficar por seis anos em um zoológico desativado e perder sua companheira, um leão ganhou um e-mail para contato e virou estrela na internet. A história dele lembra a do leão Ariel, que morreu ontem em São Paulo — ele tinha paralisia nas pernas e também gerou uma campanha pelas redes sociais.

Leão Simba, que vive sozinho no Zoológico de Ivinhema (MS), perdeu a companheira em 2010

No caso de Simba, como é chamado o outro leão, a campanha virtual é para dar um novo lar ao animal. A iniciativa conta com apoio de internautas estrangeiros –um dos fundadores é de Portugal– e até com a doação de bolsas de grife.

A ideia é da página “Leão Simba também precisa de você”, no Facebook, que já tem mais de 1.800 apoiadores.

Segundo os organizadores, Simba vive sozinho no zoológico de Ivinhema (MS) –fechado pelo Ibama em 2005– e apresenta sinais de depressão. O leão perdeu a companheira no ano passado.

Ele também está em uma jaula pequena e sem segurança, segundo a coordenadora do setor de fauna do Ibama em MS, Paula Mochel.

A coordenadora diz que o órgão tenta encontrar um lar para o leão há um ano e meio –antes, a prefeitura tentava reaver o espaço. Enquanto isso, um zelador pago pelo município alimenta o leão três vezes por semana.

Agora, o objetivo é transportá-lo até o lar de animais Rancho dos Gnomos, em Cotia (SP). O local foi encontrado com ajuda da campanha na internet.

“Conseguimos em dez dias o que demorou anos”, comemora a psicóloga Fátima Nogueira, 55, que mantém a página com três amigos virtuais. Ela vai dormir “de madrugada” por conta do tempo que passa na rede social empenhada na campanha.

Segundo Fátima, cada internauta ajuda como pode: além da bolsa de grife, que deve ser rifada, uma internauta doou uma tela de ponto-cruz, um grupo prometeu doar um netbook e há até quem já organize passeios de rapel em prol do leão.

A campanha não é restrita ao Facebook. O fundador do Rancho dos Gnomos, Marcos Pompeu, diz que está esperando o Ibama autorizar o transporte do animal para também começar uma “vaquinha” na web.

No Rancho, Simba deve trocar o nome para Antuak, “para não lembrar o passado”, e viver com as leoas Biná e Hera.

Antes disso, Simba deve ter todas as etapas da viagem de Ivinhema a Cotia, de quase mil km, transmitidas em tempo real na internet por meio de fotos.

O que acho mais injusto disto tudo, é que o ser humano invade o habita-te natural do animal, o tira de lá e o trás para o nosso convívio e depois não tem como mantê-lo em um local decente…

Graças à Deus, o Simba conseguiu um local para ficar…

Lyllyan

Fonte: Folha On-line