A solidariedade nunca esteve tão cara. A nova lei de imigração que entra em vigor nesta quinta (31), na Espanha, pode multar em mais de 100 mil euros (R$ 230 mil) as pessoas que derem comida, abrigo ou trabalho a imigrantes ilegais no país.

A medida é parte da Lei Orgânica sobre Direitos e Liberdades de Estrangeiros na Espanha, que tem sido bombardeada por críticas de ONGs, associações humanitárias e consulados, que acusam o governo de incentivar a xenofobia e facilitar a deportação de estrangeiros.”Esta lei desrespeita todos os direitos básicos. Está escrita de forma a mostrar os imigrantes como seres descartáveis em vez de tratá-los como pessoas que também têm direitos”, disse o diretor-geral da Anistia Internacional na Espanha, Esteban Beltrán, à ‘BBC’.

A lei também foi criticada pela Comissão Espanhola de Ajuda ao Refugiado (CEAR), que afirmou: “A única coisa que esta lei consegue é fechar as portas para qualquer integração dos imigrantes. A Espanha está excluindo da nossa sociedade os imigrantes, retirando todos os direitos deles. Querem nos transformar de um povo solidário a fiscais de imigração, e isso é inaceitável“, disse Alfredo Abad, secretário-geral da CEAR.A Lei Orgânica sobre Direitos e Liberdades de Estrangeiros ainda impõe restrições para imigrantes regularizados levarem parentes ao país. Só podendo fazê-lo com pais maiores de 65 anos, cônjuges e filhos menores de idade.

Ainda com informações da ‘BBC’, a Secretaria de Estado de Imigração disse que o objetivo da lei ‘é dar respostas ágeis e eficazes aos desafios atuais’. O governo nega qualquer discriminação aos imigrantes e diz que ‘apenas procura vincular a imigração ao mercado de trabalho e ordenar os fluxos’.

Carol.

Crédito: Mtv.