Olá,

No meio de uma viagem de ônibus em Ourinhos, interior de São Paulo, a professora Angélica Jesus Batista foi presa por um comando policial no sábado (19). Os oficiais acreditavam ter encontrado uma traficante, mas confundiram uma pedra de crack com um tablete de rapadura.

Por mais que rapadura seja doce e cause cáries, ainda não foi proibida, (está frase é a melhor… Rs), então Angélica foi liberada em seguida. Mas ela faz um boletim de ocorrência pelo constrangimento que passou. A professora contou a história ao site d’O Globo: “A policial parou na porta do ônibus e disse ‘encontramos’.”

Depois de ser algemada na frente de todos os passageiros, o mal entendido foi solucionado e Ângela liberada. A traficante de verdade foi encontrada em outro ônibus com 2 kg de crack. A rapadura era um presente ao namorado e à sogra, que Angélica tinha comprado com sua mãe em uma viagem à Bahia.

Como nossa Polícia está preparada ne? Não sabe nem diferenciar uma rapadura de um pedra de crack! Lamentável!

Lyllyan

Fotne: O Globo e Virgula