Olá,

O empresário Silvio Santos disse ‘sim’ e vendeu neste domingo (30) o banco Panamericano por R$ 450 milhões. O apresentador esteve pessoalmente nas negociações. Na saída demonstrou o bom humor característico, mas deu poucos detalhes do negócio.

O Panamericano anda mal das pernas desde novembro, quando foi descoberto um rombo de R$ 2 milhões. Mais de duas horas de reunião a portas fechadas, sem o banco no grupo, e Silvio Santos não perdeu o bom humor. Entre uma brincadeira e outra, o empresário confirmou a venda do Banco Panamericano. “Eu vendi o banco porque se eu não entendo de banco para que eu vou ficar com o banco?”, disse.

Silvio desconversou sobre a venda e não deu detalhes do negócio. “As condições, você sabe que eu não sou advogado, os meus advogados trataram disso e eu realmente não sei. Foi tanto papel na minha frente que nem eu assinei. Quem assinou foi a minha filha Renata e o meu sobrinho Guilherme. Eu não assinei nada”, afirma o apresentador que diz não saber o valor total da venda.

Passava das 22h quando o comprador se manifestou. Por meio de nota, o banco BTG Pactual informou a compra da ‘totalidade de ações do Grupo Sílvio Santos no Banco Panamericano por R$ 450 milhões’. Isso corresponde a 51 % das ações ordinárias, o que garante o controle do banco ao BTG Pactual. Os outros 49% são da Caixa Econômica Federal.

O Panamericano estava fragilizado desde novembro, quando foi divulgado um rombo de R$ 2,5 bilhões nas contas do banco. No mercado, especula-se que o verdadeiro tamanho do buraco seja de R$ 4 bilhões – valor que deverá ser conhecido na segunda-feira (7), quando o balanço da instituição será divulgado.

Quando soube da fraude fiscal, Silvio Santos recorreu a um fundo privado para socorrer o Panamericano. E deu suas empresas como garantia – inclusive o Sistema Brasileiro de Televisão. Agora, com o banco vendido, ele diz que não há mais perigo de perder qualquer empresa.

“A Jequiti também não está mais a venda, as lojas do crediário do Baú também não estão mais a venda. A única coisa que foi vendida foi o banco”, conta Silvio Santos.

A venda do banco só foi possível porque o Fundo Garantidor de Crédito evitou a quebra do Panamericano. O fundo foi criado e é mantido por bancos privados com a finalidade de garantir os depósitos dos correntistas em caso de problemas com a instituição financeira.

 Sinceramente é a primeira vez em toda história deste país que vejo um empresário descobrir um “arrombo” em sua empresa, manter a calma durante o processo investigativo e vender a empresa com ótimo humor. Parabéns ao Silvio Santos! Ensinou muitos grandes empresários como tocar os negócios…

Detalhe! O banco acabou de ser vendido e teve alta de 20% na bolsa de valores

Lyllyan

Fonte: Globo News, Jornal de Floripa e IG