Tradução: Adin

1ª Parte:

Enquanto muitos fãs estão muito interessados em dotações para cada álbum de Michael Jackson, alguns vão mais longe na sua abordagem. Assim, quatro membros do fórum MJFrance conseguiu entrar em contato com o Dire Elliott mais conhecido sob o nome de Dr. Freeze, ou seja, o produtor de “Break Of Dawn” (Invincible), “A Place With No Name” e “Gangsta Blue”.

Dr. Freeze

Dr. Freeze que trabalhou em estúdio com o Michael Jackson, em uma entrevista exclusiva, deu uma notícia muito interessante para você. Entrando mais profundamente nas gravações secretas do Rei do Pop, vamos conhecer essa entrevista em três partes. A primeira parte de hoje intitulado: Dr. Freeze fez revelações sobre o próximo álbum …

Quagmire: Estou ansioso para saber como você começou a trabalhar com Michael Jackson e como entrou em contato com você.

Dr. Freeze: Eu conhecia o seu empresário, John McClain, e eu estava trabalhando em um álbum com os meus sócios, Spydermann. Após completar o álbum, não saiu como planejado e tivemos que cancelar a saída. Fiquei muito chateado. E então John McClain disse: “Não se preocupe Freeze. Eu tenho um outro projeto para você. Eu vou estar num negócio com Michael “.” Eu disse: Michael … quem “?” e ele disse: Michael Jackson! eu não acreditei no primeiro momento, eu pensava que estava completamente louco ! E então um dia eu estava no telefone com meu pai e alguém me ligou na outra linha … e era Michael! É assim que tudo começou. Eu tinha algumas músicas e eu as apresentei para Michael. Ele adoro-as! Porque Michael e eu, temos um som muito próximo. Então, toda vez que eu propunha algo, era fácil para ele estudar a música porque era como se ele já a conhecesse. Propus as canções e ele adorou-as. Ele adorava-as. É foi assim que nos conhecemos.

Q: Falando de “Break Of Dawn” que é uma grande canção. Eu acho que é uma das músicas mais sensuais que ele já fez e é esse Michael que eu queria ouvir . Eu não sei se você sabe, esta é a primeira vez que ele fala sobre fazer amor em uma canção. Eu não sei se abordou esta questão com ele?

F: (risos) Sim, obrigado. Era sua canção favorita era o seu bebê .

Q: Você se lembra do número exato de músicas que você lhe apresentou?

F: Eu lhe apresentei diversas canções. As músicas principais em que nós trabalhamos são “Break Of Dawn”, “A Place With No Name” e “Blue Gangsta”. Estas três músicas foram a nossa prioridade. “Break Of Dawn” é uma das canções que foi finalizada. As outras deveriam sair mais tarde. Ficaram mantidas em reserva.

Q: Então você sugere músicas e Michael diz se gostou de alguma música em particular. Pelo que entendi, ele amava Break Of Dawn, e a partir daí, ele decidiu concentrar-se nesta canção em particular. O que aconteceu depois?

F: Nós estávamos gravando, nós mudamos de estúdio, regravamos, e gravamos mais músicas. Você sabe, “A Place With No Name” e “Gangsta Azul” foram gravadas na mesma época. Existem também algumas outras que eu não posso falar por agora. Mas outras músicas foram gravadas. Nós gravamos muitas, mas estas três canções foram os nossos três objetivos principais.

Q: Qual foi o seu estado de espírito no primeiro dia no estúdio com ele? Como você se sentiu?

F: Foi bastante assustador para mim! Senti-me como se estivesse de volta à escola primária e não soubesse nada sobre a produção! reaprendi tudo com Michael Os outros produtores e eu éramos como estudantes enfrentando um professor. Com o Michael, era como se nós não soubéssemos nada mais do nosso negócio: nós tivemos que começar de novo e reaprender tudo. Ele nos ensinou a fazer tudo da melhor maneira possível: Michael era um perfeccionista e nós tivemos que começar do zero para produzir a música da melhor maneira possível. Eu estava muito nervoso, muito honrado mas muito nervoso! Enfim, Michael estava mais nervoso com você do que você estava com ele. Foi simplesmente maravilho, é daquelas pessoas com quem você nunca poderia sonhar trabalhar em conjunto. Foi ótimo! Ele sabia tudo sobre a indústria da música, tudo sobre tudo, nada era estranho para ele, e ele me ensinou muito. Enfim, ele era muito humilde e criativo. Foi muito bom trabalhar com ele.

Q: Você por conseguinte, propôs o seu “Break Of Dawn”, e então você teve de refazer a canção na íntegra, seguindo o seu conselho?

F: Não, ele só tinha que gravar os vocais … e adicionar a sua magia! Foi como se flores e árvores crescessem na música! Ele tocou-lhe e tornou-se mágico! Eu fiquei chocado!

Q: Então, todas as peças musicais e as letras foram feitas com antecedência?

F: Sim, ele adorava a música! Ele quis deixar como está! Tudo o que eu tinha feito sobre este pedaço, ninguém tinha o direito de mudar qualquer coisa. Porque soava como ele tinha ouvido a primeira vez, tivemos um sonho, uma visão, e ele queria recriar este sonho em canção nos minimos detalhes. Ele não queria mudar nada, queria manter a magia da música absolutamente intacta. O que você ouve no Invincible é exatamente a versão que eu tinha dado a ele antes que ele colocar a voz lá.

Q: Quanto tempo demorou para que gravasse a música?

F: Ele levou tempo porque queria muita força na voz, principalmente a harmonia que você ouve nos coros. Levou tempo. O processo estava no estúdio, como se estivéssemos filmando um filme!

Q: Na época, ele também trabalhou em outras canções de Invincible ?

F: Sim .

Q: Então ele vinha para gravar a sua voz, ouvia, fazia os arranjos, começou a trabalhar em outras músicas, depois voltava uns dias mais tarde, para fazer gravações adicionais?

F: Sim, era um trabalho incremental. Às vezes, ele gravava os vocais, outras vezes era apenas o refrão ou de improviso … Ele também ouviu as diferentes misturas e mudou alguns detalhes aqui e ali. Ele estava em pleno processo criativo. Nós queríamos que a música saísse perfeita, e volto para a minha analogia com o filme, era um pouco como um diretor que procura melhorar o seu filme, alterando o script ou mudar os atores. Foi este tipo de processo que ele usou para criar essa música e, em geral, o álbum Invincible.

Q: Então, basicamente, ele mudou um verso, começou a trabalhar em outra canção, e poucos dias depois, ele veio até você para fazer nova evolução na música?

F: Sim. Quando ele voltou alterações foram feitas e ideias foram propostas, e ele as escutou atentamente. Também surgiram momentos em que tivemos que arranjar duas ou três coisas. Em última análise, todas as decisões eram dele. Ele era o chefe. Ele era aberto a qualquer crítica ou sugestão benéfica para a música, pois manteve a sua eficácia. Tudo o que lhe interessava era ter hits no poder.

Q: Quem teve a idéia de tirar “A Horse With No Name”, do grupo América?

F: Foi minha. Mais uma vez, eu fiz toda a músicas, e ele só tinha de aprender as letras. Era ao mesmo tempo, como Break Of Dawn, mas ele não saiu e continuou a trabalhar sobre ela . Ele melhorou-a gradualmente.

Q: Ela estava prevista para o álbum Invincible ou para outro projeto?

F: Inicialmente, estava previsto para Invincible, sim. Ela não saiu neste álbum e, portanto, mantem-se em reserva como “Blue Gangsta”.

Q: Em comparação com o extrato que vazou na internet, podemos esperar as diferenças de mistura?

F: Sim, o que você ouviu é uma mistura da antiga. O que você vai ouvir em breve é completamente novo.

Q: Você disse que “em breve”? Estou disposto a saber mais!

F:”A Place With No Name” e “Gangsta Azul”. ambos estarão no próximo álbum de Michael. “A Place With No Name” será diferente do vazamento na internet, ela será atualizada. Para “Blue Gangsta” eu regravei instrumental. Então, esperamos mudanças .

Q: Você finalizou essa música com Michael em sua vida?

F: Absolutamente, não tinha sido finalizada .

Q: Quais eram seus sentimentos sobre Michael, quando você o conheceu um pouco mais no estúdio?

F: Ele me ensinou não só para criar uma música corretamente, mas ele também me deu conselhos sobre a indústria da música como um todo. Meu sentimento principal é que ele era um gênio absoluto. Tive a sorte de aprender com um dos maiores. Eu tento aplicar os seus conselhos nos projetos em que estou envolvido hoje: Eu tento manter vivo o espírito artístico de Michael Jackson. É como se me tivesse formado na faculdade de música “Michael Jackson”. Enfim, voltando à sua pergunta, a palavra “sentimento” é muito baixo. Não há palavra forte o suficiente para descrever o que eu aprendi e vivi com o Rei do Pop.

Q: Você tem algum histórias sobre as suas sessões de estúdio?

F: Nem por isso. Eu me diverti muito trabalhando com ele. Michael era alguém que gostava de fazer piadas engraçadas. Nós falávamos de todos os videogames, etc. Em seguida, retomava o seu trabalho, a lição é reiniciada. Ficamos surpresos com seu desempenho. Aconteceu assim.

Q: Ele fazia muito aquecimento vocal para gravar a canção?

F: Qualquer um deve aquecer, seja nos esportes ou cantando. Nós nunca o vimos fazer seus exercícios vocais diante de nós, mas quando ele entrou no estúdio para gravar, ele estava diante do microfone e ateou fogo à música. Quando saiu, o estúdio estava em cinzas e nossos queixos no chão. Foi realmente impressionante ver .

Você pode conhecer amanhã (29/01) a segunda parte desta entrevista, intitulada: Dr. Freeze revela o título de um inédito.

Agradecimento à Quagmire, Bud, Dovido et Tristan do forum MJFrance.
http://mjfrance.com/actu/index.php?trackback/3233

Fiquem bem, bjs

Adin