Olá,

O site “TMZ” teve acesso ao depoimento da ex-namorada do médico Conrad Murray, acusado de homicídio involuntário pela morte de Michael Jackson no dia de hoje, 07/01/11.

O médico Conrad Murray, em abril de 2010

Sade Anding que esteve em Houston no dia em que Michael Jackson morreu, disse, em juízo, que recebeu uma ligação do então namorado por volta de 12:30pm no dia em que o cantor morreu. Ela disse que Murray lhe perguntou como havia sido seu dia e que, de repente, parou de falar ao telefone.

Sade, em seguida, disse que ouviu barulho, como se o telefone estivesse em um bolso, e ouviu “tosse e vozes.”   A ligação teria durado cinco minutos.

Mas há apenas uma chamada registrada no telefone de Murray para a Sade, às 11:51am e não às 12:30pm com ela disse.

Isto mostra que Murray só percebeu que MJ não estava bem por volta das 11:55am  e  o médico só ligou para o serviço de emergência às 12h21m. Ou seja, Murray pode ter demorado até 25 minutos para pedir ajuda.

Lamentável tudo isto! A melhor coisa a fazer e não contratar médico pessoal para ficar conosco 24 horas, porque na hora que a gente mais precisar e bem capaz que a criatura fará igual ou pior do que o Dr. Conrad Murray fez.

Lyllyan

Fonte: TMZ e EGO Notícias