Olá,

Não, infelizmente não é photoshop.

A modelo Allie Crandell (fotos acima de divulgação da revolveclothing) foi banida de uma campanha de moda. O motivo do veto surgiu do clamor popular: consumidores odiaram sua imagem de boneca magérrima. Uma imagem que remete muito mais à doença de anorexia, ou magreza mórbida, do que propriamente a uma imagem de saúde, beleza e elegância.

Allie estava apresentando uma coleção assinada por Max Azria, da BCBG, para o site americano de grifes de moda Revolve. As mulheres ficaram revoltadas com o diâmetro dos braços e pernas de Allie, além dos ossos de fora. A grife, preocupada com a repercussão negativa, baniu a modelo temporariamente. As fotos foram publicadas no site da Revolve. Porta-voz da companhia disse que Allie só poderá voltar a posar quando ganhar peso e estiver com uma aparência mais normal, que não choque as consumidoras. Os empresários estão conversando com os agentes da jovem, numa tentativa de conscientizá-la a mudar sua alimentação.

(Mas … não são as próprias grifes que dão preferência às magérrimas?)

Mulheres deixaram comentários indignados no site dizendo que jamais comprariam um vestido depois de vê-lo numa modelo com um rosto tão pálido, macilento e sem expressão.

“Se uma loja quer que as pessoas comprem algo de sua empresa, não faça com que seus consumidores se sintam mal diante de uma modelo que claramente não tem nenhuma autoestima ou respeito por seu próprio corpo”, protestou uma leitora do site.

A imprensa internacional e sites de notícias estrangeiros repercutiram a decisão de suspender a campanha. O jornal Daily Mail publicou reportagem em seu site, e mostrou ainda outras fotos da modelo. O site FabSugar fez uma enquete sobre o acerto ou o erro da decisão de banir Allie da propaganda.

A moça, que deve ser linda originalmente – ou seja, antes de emagrecer tanto e deformar seus traços – virou celebridade instantânea ao participar de um reality-show da MTV, The City, em 2008. Em um dos episódios do programa, sua magreza chegou a ser criticada, mas a modelo se defendia. Dizia que comia muito bem.

Pessoalmente, não fico indignada, mas com pena dessas moças muito bonitas que descambam para a autodestruição em nome do que elas julgam ser…beleza.

Na verdade, o protesto veio de gente comum, mulheres normais. Talvez a sociedade esteja começando mesmo a rejeitar ativamente esse padrão mórbido de magreza, que produz mulheres irreais, etéreas e estranhas – elas parecem robôs saídos de filmes como Blade-Runner.

E você?

Acha válido que o site e a grife cancelem sua campanha e a proíbam de posar para sua coleção até que recupere um peso normal? O castigo pode salvar Allie ou jogar a modelo na depressão?

Lyllyan

Fonte: G1 e Época