Olá,

Porque relacionamentos entre mulheres mais velhas e homens mais novos ainda são alvos de preconceito e como lidar.

Relacionamentos entre mulheres mais velhas e homens mais novos são mais frequentes hoje em dia e também um tema comum nas conversas entre amigas. Mas esse tipo de casal nem sempre é bem aceito, como relata a leitora: “Com tantas mudanças e conquistas sociais, principalmente no campo feminino, porque permanece o preconceito e o tabu?”

A atriz Demi Moore, 44 anos, é casada com Ashton Kutcher, 29

Vamos considerar que existe uma grande resistência por parte de uma sociedade em aceitar o diferente, mexer no que se estabeleceu há séculos atrás: normas, valores, crenças, costumes. É verdade que mudamos muitas coisas ao longo de anos, mas conservamos conceitos e crenças do passado que orientam nossas escolhas.

Uma relação entre uma mulher mais velha e um jovem rapaz lida com o preconceito e o tabu que envolve os costumes e questões de ordem sexual, moral e religiosa.

Não podemos esquecer que até o início do século passado as mulheres se casavam em média aos 13 anos com homens bem mais velhos. Além do aspecto representativo que o marido substituía a figura do pai, a imaturidade facilitava a submissão da menina e a isto se juntavam tantos outros aspectos de ordem psicosociocultural. Naquela época uma mulher com um rapaz bem mais jovem sugeria disposição sexual, prazeres e desejos incompatíveis com os valores morais e religiosos da época.

Hoje conseguimos nos libertar da ideia do prazer sexual somente para a procriação; emancipamos pelas conquistas profissionais; usamos a tecnologia para postergar a maternidade, minimizar os efeitos do tempo, melhorar nossa estética. Só que não conseguimos nos livrar de alguns tabus e preconceitos.

O que nos prende a questões tão ultrapassadas? Pode ser o medo de estar na contramão, de ser traída ou o receio do insucesso em uma relação marcada pela diferença da idade. Mas, pensando bem, que garantias de sucesso temos em qualquer outra relação? Nenhuma.

Agora, para as mulheres que já estão começando a viver essa relação alguns pontos são importantes:

1. Aprenda a lidar com os diferentes interesses. A vida é marcada pelas fases nas quais cada um se encontra.

2. Aprenda a lidar com as suas inseguranças em função da diferença de idade – confiança em si mesma é o melhor antídoto.

3. Ambos precisam ter flexibilidade no convívio social: aprender a se relacionar com os amigos dele (mais jovens) e ele com os seus (mais velhos).

4. Não fique impactada pelos julgamentos de amigos e familiares. Se você se libertar dos seus próprios preconceitos eles aceitarão bem mais rápido. E se isso não acontecer lembre-se: a vida é sua.

5. Não designe papéis que ele, pela idade ou imaturidade, ainda não consegue assumir como, por exemplo, ser o padrasto dos seus filhos, usando um modelo já definido socialmente.

6. Paciência diante de certos comportamentos “juvenis”. Alguns são até interessantes na convivência e podem rejuvenescer sua alma.

Já mudamos muitas coisas de ordem social e pessoal. Todas as conquistas que hoje usufruímos exigiram reflexão, coragem e ação de alguém. Lembrem-se: “Repetir a mesma receita de bolo nem sempre é a melhor escolha”. 

Tanto para os homens como para as mulheres quando se relacionam com pessoas mais jovens, a meu ver, existe uma diferença de idade aceitável, mas quando extrapola, não consigo ver amor e sim interesse.
E vocês o que acham?
 

Lyllyan

Fonte: IG Delas