Em uma tentativa de informar os consumidores e combater a “epidemia” de obesidade, autoridades britânicas propuseram no ano passado que restaurantes passassem a informar aos clientes o número de calorias contidos em pratos e bebidas servidos.

Na época, consumidores reagiram bem à ideia e algumas cadeias de restaurantes prometeram incluir a contagem em seus menus ou em quadros, à vista dos clientes.As autoridades de saúde britânicas recomendam o consumo diário de 2.500 calorias para os homens e 2.000 para as mulheres.

O tempo foi passando e, no caso das lanchonetes, há apenas três cadeias que apresentam explicitamente o número de calorias de seus sanduíches, saladas e sopas: o Pret-a-Manger, Eat e Subway.Outras, como McDonalds e o Pizza Express (cadeia de pizzarias), disponibilizam a informação em seu website.

Agora, a cadeia de restaurantes gregos The Real Greek resolveu adotar a contagem em seus menus, depois de testar alguns itens e concluir que a mudança foi bem recebida pelos clientes.Já há alguns anos a indústria passou a mostrar o número de calorias dos alimentos comprados em supermercados. O governo chegou a criar um sistema de sinais verde, amarelo e vermelho, indicando os “riscos” para a saúde, dependendo da comida.

Alguns restaurantes em algumas cidades americanas também adotaram a contagem e, ao que parece, o resultado na maioria dos casos é que os consumidores passam a optar, com mais frequência, por alimentos menos calóricos.Eu já fiz dieta da sopa, de carboidratos, Vigilantes do Peso e há uns 10 anos tento comer decentemente (sem sucesso garantido, diga-se de passagem), com algum conhecimento das comidas que engordam e que não engordam.

Mas confesso que fiquei surpresa ao concluir que uma porção de Hummus (pasta de grão de bico) tem aproximadamente um terço das calorias de uma porção de Taramosalata (pasta de bacalhau defumado), que contém 913 calorias!E feliz ao descobrir que minha amada pasta de beringela defumada (Melitzanosalata) fica em apenas 236 calorias…

Gosto de comer, para mim, é um dos maiores prazeres da vida. E desde que comecei a cozinhar em casa parei de me preocupar em fazer comida diet. Uso creme, manteiga, azeite, como batata, massas, arroz, enfim, o que acho gostoso.Não abuso de doces, não faço porções enormes, nada frito em imersão (por causa da bagunça) e tento comer muitos legumes e verduras. Também costumo cozinhar “from scratch”, como se diz em inglês, ou a partir dos ingredientes frescos, sem muita comida pré-preparada. Mas nunca contei calorias e poucas vezes escolho a opção “light” de algum produto.

Fiquei me perguntando se as calorias explícitas ali, na minha cara, iriam tirar meu apetite. Saber que uma refeição com Big Mac, fritas grandes e coca-cola grande somam 1.160 calorias, com certeza, me faz pensar duas vezes.Ao descobrir que as pizzas relativamente pequenas do Pizza Express têm, em média, 800 calorias, também me senti culpada (até porque, normalmente como pizzas bem maiores do que as deles!).

Fico imaginando se uma churrascaria rodízio também iria informar as calorias que se consomem, em média, durante um farto almoço… já pensou, o “moço do espeto” chegando com uma picanha e um quadrinho ao lado, mostrando quantas calorias tem cada fatia? E a gente anotando em um papelzinho, fazendo conta até explodir de tanto comer?

Ou se haveria porções de pão de queijo, coxinhas, quibes, empadinhas, pastéis, tudo com as calorias ali, na nossa cara? E um prato de feijoada? Acho que nunca mais conseguiria comer com o mesmo prazer…Na época que o governo propôs a contagem, muitos donos de restaurante disseram que isso iria atrapalhar os negócios e incorreria em mais custos para a indústria. Alguns chefs também criticaram o governo acusando-o de excesso de zelo e afirmando que as pessoas têm direito de comer o que quiserem, sem se preocupar.

Acho que os restaurantes que adotaram a recomendação têm uma coisa em comum: opções realmente leves de saladas ou sopas, que, com certeza, ajudam aqueles que querem perder as gordurinhas, mas não querem perder o prazer de comer fora.A gerência do The Real Greek informou ao jornal Daily Telegraph que o movimento nos restaurantes não diminuiu desde que eles adotaram a medida, mas que houve um aumento notável no número de pedidos de pratos menos calóricos.

Na dúvida, fico com a Melitzanosalata e guardo uma cota maior de calorias para o prato principal! E quando for a uma churrascaria rodízio, prefiro não ler “as letras miúdas”…E você, gostaria de saber as calorias na hora de escolher um prato? Acha que uma medida como essa poderia “pegar” no Brasil?

Fonte : BBC Brasil.

Eu acharia  uma  ótima idéia.

Kelinha.