Olá,

O chapéu fedora continuará em cena, agora na moda inverno.

O chapéu Fedora, aquele modelo clássico usado pelo Indiana Jones, tem sido visto cada vez com mais com frequência nas passarelas e nas ruas. E a queda das temperaturas vai fazer o acessório ser ainda mais usado. A Colcci, por exemplo, apostou em um modelo no seu desfile de inverno. O modelo também está na nova coleção da Neon e até em lojas mais populares, como a Renner.

Fora do Brasil, o modelo também tem feito a cabeça de muita gente. Em seu último single, “Celebration“, Madonna estava com um. Isso significa que, no dia seguinte de seu lançamento, eles devem ter sumido das prateleiras ao redor do mundo. Existem ateliês, como o francês La Cerise sur le Chapeau, em que chapéus são customizados nas cores que o cliente desejar. São mil e uma combinações, inclusive da fita que também é uma característica do modelo.

Chapéu Fedora surgiu no século 19 e é ícone de filmes noir
A história do Fedora nasceu nos palcos, quando Sarah Bernhardt adotou o modelo em seu figurino numa peça homônima, no final do século 19. Assim, transformou-o numa peça indispensável, naquela época, do guarda-roupa feminino. Mas, aos poucos, ele foi sendo adotado pelos homens.

Nas décadas de 40 e 50, era usado por ícones de Hollywood como Gene Kelly – que usou um em “Dançando na chuva ” e por Humphrey Bogart, em “Casablanca”. Junto com o trenchcoat, era peça essencial de qualquer figurino de filme noir. Depois, caiu em desuso, mas renasceu nos anos 80 e, agora, mais uma vez.

“A forma de usar que eu acho mais legal é na parte de trás cabeça de uma forma que, olhando de frente você só veja uma aureola, que na verdade é a aba do chapéu. Acho super anos 80, um clima meio Boy George”, diz o stylist Rogério S. Para ele, quem tem muito volume de cabelo deve evitar o acessório.

Confira alguns modelos que estão nas últimas coleções:

Abs.

Lyllyan

Fonte: G1